Deixe ele entrar

Por muito tempo, mesmo sendo muito feliz sozinha, eu sempre disse que se achasse alguém que fosse meu número, eu ia querer namorar com ele. Alguém que risse das mesmas coisas que eu, que gostasse de dançar até de madrugada, que tivesse mais sonhos além da casa própria, que não se importasse em dirigir um carro velho, que achasse graça nas bobagens que eu e as minhas amigas falamos, que gostasse de cantar música ruim bem alto.
E aí que eu achei essa criatura. Eu acho ele lindo, eu adoro o jeito que ele dança, a gente ri sozinho de pessoas cafonas pela rua, gostamos de dividir os pratos nos restaurantes, em casa ele cozinha e eu lavo a louça, quando eu viajo ele stalkeia pela Infraero onde está meu avião só pra saber o que eu estou vendo pela janela, e todas essas coisas somadas à tantas outras me fazem sentir muito feliz. Que acreditar por todo esse tempo que me diverti com os errados pensando em encontrar o certo valeu mais do que a pena.
Mas como é difícil deixar alguém entrar na nossa vida... Mesmo A pessoa, mesmo ele.
A gente tem hábitos, manias, quer decidir tudo sozinho, quer sair combinando, quer que ele concorde com tudo, quer que ele queira participar de tudo. E não é assim. A gente emburra, e lembra como era mais fácil quando era sozinha... A gente quer planejar as férias, e o outro as vezes não ta nem pensando no jantar de hoje. A gente quer que tudo se resolva, e eles querem deixar rolar.
Eu sei, é bobagem... É princípio básico de relacionamento. Mas em tempos de tantas reflexões sobre os relacionamentos modernos, eu fico pensando que esse é um problema que extrapola o whatsapp, tinder e facebook. É uma questão de estar aberto, de entender que pro outro entrar, a gente tem que abrir a porta e ter espaço. E isso sempre foi assim. Mas quando é com a gente parece tão mais complicado, né?
Nessas eu tenho aprendido muito. É difícil, mas tento ser a pessoa que entende, que conversa e que acredita na decisão conjunta. E são nesses momentos que eu percebo que ele é mesmo o meu par, porque só ele pra resgatar esse lado de mim que vivia tão, mas tão escondido, que eu nunca tinha visto.
* Ouvindo músicas doces, muito doces.

2 comentários:

  1. Que coisa linda, Gabi! Fico muito feliz em ver pessoas encontrando seu outro par de sapato. Queria eu ter encontrado o meu. Acho que ainda estou “testando” os números errados na esperança de achar os certos. Bom...tem vezes que perco as esperanças. Estou mesmo pensando em desistir dessa coisa de amor. Apenas cansei de tentar e falhar. ...enfim, voltando pro texto: o princípio básico pros relacionamentos e que a gente esquece tanto, né? Eu, por sinal, algumas vezes me perdi nisso. Espero melhorar nesse sentido daqui pra frente [se achar o meu par]. - @ Emilie

    ResponderExcluir
  2. O importante é acreditar, né? A gente leva tanta porrada, que é difícil não fechar os olhos e deixar de ver que tem gente muita gente legal por aí. Pode não ser perfeito como a gente imaginava, mas gente bacana (e real) que faz tudo valer a pena.

    ResponderExcluir

Follow @ Instagram

Back to Top