A endometriose e outro lado da moeda

Há algum tempo, nesse post aqui, eu expus o meu problema com a endometriose. Fui bem categórica em dizer que o médico faz TODA a diferença na forma com que se encara a doença. E agora estou aqui para reforçar a tese, justamente por, depois de um exemplo tão positivo, ter me deparado com um atendimento péssimo. 

Desde o ano passado estou fazendo vários exames e acompanhamentos, pois estava sentindo umas dores, e sabe como é, né... gato escaldado... Andei sondando a querida Dra. Rosa, mas hoje não tenho mais o convênio que cobria ela, meu convênio é inferior, e a consulta dela é uma pequena fortuna que, no momento, achei que não precisava gastar. Acabou que fui em outra médica. E minha gente... Tomem isso de lição: a pão durisse, assim como o crime, não compensa. A criatura abriu meu exame, olhou, e com a mesma cara que tinha acabado de agradecer o café que trouxeram pra ela, falou... Ihh menina, ta cheia de endometriose. 

Sério. Assim. Como quem me diz que to cheia de espinha... Já fiquei ~um pouco~ irritada. Continuamos a conversa, ela explicou sobre as possibilidades de tratamento, falou maravilhas de um medicamente novo, o Allurene, que ele dimiui os focos, que ele diminui dor, que ele da conforto, que ele faz comida, que ele te leva pra jantar, que ele faz amorzinho gostoso

E aí, vem a peróla em forma de diálogo:
- mas me conta, você quer engravidar agora?
- não, agora não...
- melhor, porque acho não ía dar não, ía ter que fazer inseminação. 

Lhes pergunto, senhoras e senhores, QUEM PERGUNTOU? PRECISA? PRECISA MESMO?
Quisesse eu engravidar, teria perguntado. Eu não perguntei porque não é uma preocupação do momento. Precisa vir jogar na minha cara, com toda essa sensibilidade de um elefante dentro da Camicado, que talvez eu não possa ter filhos?

Aí eu resolvi que precisava seguir com a conversa, pelo bem das companheiras de luta:
- mas Dra, eu NUNCA vou conseguir engravidar sem inseminação?
- veja beeeem, não foi isso que eu disse... 
- então a Dra precisa ser mais clara e delicada com esse assunto, pois foi só isso que eu entendi. 

Ai ela me olhou, meio assim, sabe... com aquela cara..

de bunda
- não, Gabriela, na verdade acho que agora, neste momento, você teria dificuldades pra engravidar, mas no futuro, com  tratamento, talvez melhore

E é isso... Eu entendi todo o rebuliço que o povo faz em torno da endometriose. É por conta de gente sem noção como essa Senhora, que cria estresses desnecessários na cabeça das pessoas. A endometriose afeta a possibilidade de gravidez? Claro que sim. Mas é fato completamente impeditivo? Em casos gravíssimos somente. É o meu caso? Disse ela, depois de cagar no maiô, que não... Francamente, viu. Nós sabemos como os fatores psicológicos afetam nosso corpo, inclusive os nossos hormônios. A endometriose é uma doença basicamente hormonal, e tendo em mente o tanto que hormônio pode virar a nossa vida de cabeça pra baixo, lhes pergunto mais uma vez: precisa mesmo desestabilizar ainda mais uma pessoa? Vai ajudar?

Dito isto, acho importante registrar aqui que entrei em contato com minhas médicas do coração, que já me mandaram sossegar o faixo e me garantiram que, se um dia eu quiser ser mãe, a decisão vai ser minha, e não dessa doença desgraçada. 

6 comentários:

  1. Nossa, Gabi. Fiquei chocada com essa médica. Como essas pessoas estudam tantos anos pra serem insensíveis assim com os pacientes? Ainda bem que você está mais tranquila depois de ter falado com as médicas que você sentia mais confiança e que você está positiva em relação à isso. Força!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entao, Barbara.. eu penso a mesma coisa. Ok que eles estao acostumados a lidar com esse tipo de situacao todo dia, mas tem que pensar que o paciente nao, ne?? Fiquei muito pau da vida... Mas eh isso ai, bola pra frente! Beijos :) (to num teclado sem acento e me sentindo meio analfabeta, releve, pls)

      Excluir
  2. Vc disse tudo: o psicológico afetam todo o nosso corpo. Já tive experiências assim com a minha médica e fiquei algum tempo bem mal e desanimada. Não podia escolher outra médica, mas acho que ela até se deu conta desses "pequenos" detalhes e vem se corrigindo.
    Vc vai ser mãe sim, quando quiser e Deus tbm. Médico diz o que quer, mas a resposta é de Deus.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe, Paulinha... eu nem sei se eu quero ser mae, sabe.. mas (i) a medica nao sabia disso; (ii) eh muito amedrontador saber que essa decisao pode nao ser minha. Esses medicos tem que ter mais sensbilidade... pra eles os problemas sao corriqueiros, mas pra gente nao! De qualquer forma, como voce disse, certas coisas talvez estejam alem do nosso controle. Beijos

      Excluir
  3. Gabi, desculpas mas tive de rir! Essa médica aí tá mais pra açougueira... e que me desculpem a classe porque conheço alguns lá do açougue que são mais dóceis que ela... creio que alguns profissionais estão tão acostumados a ver aquilo todo dia que não medem o impacto do que vai sair da boca deles... é uma falta de respeito mesmo... mas olha, além das suas médicas de confiança terem tranquilizado você, tenho caso verídico na família: minha prima com endometriose severa, já com a videolaparoscopia em vista para poder depois fabricar um neném... Mas então, perto da data da cirurgia, exames de rotina e.... uma gravidez que hoje é uma bela senhorita de 5 anos! :-) Na hora certa os seus herdeiros vão chegar! Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bella, eu sou meio bagaceira, sabe, entao ate as historias mais bizarras saem meio destrambelhadas da minha boca, hahaha.. Mas voce tem razao, eles falam tudo de qualquer jeito porque pra eles, somos so mais um. Mas eu to mais sossegada.. como eu disse ali em cima pra Paulinha, nao tenho muitas certezas na vida, nem sobre ser mae. Mas fico mais aliviada de saber que posso "tomar a decisao". Obrigada por dividir um causo otimista! Beijos querida :)

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top