Pausa para a vida real

Desde que mudei para SP, em março de 2004, moro com meu irmão. Minha irmã morou com a gente até 2013, quando saiu pra morar sozinha e uma amiga de infância veio morar conosco no ap. Em 2009 minha mãe deu um carro pra gente, um Cliozinho simples que nos levou para muitas aventuras, mas também foi motivo de muita discórdia. Dividir carro em 3 é dureza... Depois de 10 anos no mesmo apartamento, que amo de paixão, estou de mudança. Estou indo viver a minha vida, me juntar de corpo a quem já estou junta de alma. 

E como eu dependo de carro para trabalhar, pois trabalho onde judas chegou descalço, para mudar eu precisava de um carro. Uns dias antes de ir pra Cuba eu consegui encontrar um do jeitinho que eu queria. Meu primeiro carro próprio, que "comprei" (falta pagar) com meu suado dinheirinho. Retirei o carro segunda-feira passada, dia 6 de julho. Fiz a vistoria do seguro na quarta feira dia 8, paguei a primeira parcela do seguro ontem, dia 13. Eu estava me sentindo muito adulta!

Hoje, dia 14 de julho, ao ir pegar o carro no lugar em que o deixei, ele não estava. Depois de uma semana, fui roubada (ou furtada, se for pra ser advogada também nas horas vagas). A sensação imediata foi de achar que estava louca. Pensei... mas gente, será que tinha pinga no café? E não, não tinha pinga no café. Tinha eu chorando na calçada. E cadê aquela adulta que estava aqui? Ela sumiu, mas voltou depois de 10 minutos para resolver os problemas. 

Está longe de ser a primeira vez que a violência chega perto de mim. Outra hora conto melhor como fui assaltada 3 vezes (uma com arma na cabeça, outra apanhei), furtada outras 3. Como escapei de um 7º evento de maneira bizarra. Como corri no meio de um tiroteio. Considerando tudo isso, dessa vez foi bem suave... Não teve pânico, não teve grito, não teve ameaça, não teve nada. Teve a infelicidade de parar no lugar errado na hora errada.

Mas olhando pra esse histórico, pensando em tudo que temos visto nos noticiários, é inevitável pensar que estamos morando no fundo do poço. Que o meu medo está superando em muito a minha esperança. Que por mais que eu queira ser otimista, não tá dando. Que a nossa sociedade falhou miseravelmente em ser isso aí, sociedade. 

8 comentários:

  1. Ai Gabi, I feel so very sorry for you. Muito mesmo pq me coloco no seu lugar e nem sei o que faria, como reagiria, como lidaria com isso.
    Ainda bem que vc tinha feito seguro. Espero, de todo coração, que vc consiga resolver tudo e logo.
    Triste essa realidade nossa.
    Deus te cuide, menina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário fofo, Paulinha! Como disse, fico aliviada de que não houve uma "violência", ameaça real, mas foi uma sensação bizarríssima ficar olhando pra vaga em que eu sabia que tinha estacionado, e ficar pensando que me cérebro estava me pregando uma peça. Andei pra cima, pra baixo, liguei o alarme do carro, e só pensava "estou ficando louca!". Beijos!

      Excluir
  2. Gabi pelamor! Que saco isso dessa insegurança constante! Tenha tranquilidade para resolver suas coisas mas no fundo, depois de vc ter relatado outras situações de violência, fiquei feliz por vc não estar lá na hora do acontecido. Deus nos livra das coisas, ainda que isso não mude a sensação de frustração. Se precisar de ombro pode contar comigo, tá? Beijo!
    PS: que notícia linda que vc vai morar com o amooooor!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bella :) Também estou tentando olhar pro bright side, sempre poderia ser pior. E sim, cansei de morar metade em cada lugar, haha... A única coisa que eu comecei a mudança semana passada, e já está suspensa. Por hora preciso ficar no apto velho pra usar o Cliozinho coletivo da mamis, rs... Bjs!

      Excluir
  3. Gabi, sinto muito pelo o que aconteceu. Eu entendo sua frustração, mal comprou o carro e já acontece uma coisa dessas. Mas e o seguro, eles vão te dar outro carro, como fica essa história? Pelo o que eu vejo por aí, lendo histórias como a sua e conversando com amigos e outras pessoas, vejo que tive sorte de nunca ter sido assaltada ou ter sofrido esse tipo de violência. Se fui furtada eu nem percebi, ou seja, acho que nunca fui mesmo. De toda maneira, dessa insegurança eu não sinto saudade :(

    beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcela, eu fui à Policia, acionei o seguro, e agora preciso esperar... Como teve vistoria, pagamento, a apólice foi emitida, não devo ter problemas pra receber. A parte chata é que terei que encontrar novo carro, fazer novo financiamento, novos documentos, etc. Um saco. Mas o importante é dar tudo certo! Agora, de fato, você teve sorte e isso é ótimo. Acho que ir embora sem uma lembrança triste dessa é uma benção. Infelizmente, eu que já era uma pessoa meio neurótica (com razão vai, rs), tendo a ficar pior. Beijos

      Excluir
  4. Nossa, Gabi, que merda! Não sei nem o que dizer, a não ser que sinto muito, muito mesmo! Espero qu evocê tenha comprado um seguro junto com o carro, assim o prejuízo não vai ser material, além de psicológico também...

    Eu sou suspeita para dar minha opinião sobre o caos que é esse país, pois eu fiz o que o ditado sobre os incomodados nos diz pra fazer...

    Boa sorte,
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Merda mesmo, Lidia! Eu paguei o seguro sim, mas agora é uma enrolação, né... Um mês no mínimo pra receber. Enfim, fiquei com um gosto amarguíssimo na boca. Mas vida que segue :) Beijos!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top