The other side

Vejo aqui no Brasil uma idealização dos Estados Unidos. Desde que me dou por gente, o sonho do brasileiro é conhecer a Dinsey e Nova York. É gastar tubos em Best Buy, Victoria Secrets e Abercrombie. E todo mundo pensa que a vida por lá é só aquilo que vimos em seriados como Sex and the City, Barrados no Baile, etc. Em tempos de crise no Brasil, o que mais vejo é gente que não tem o menor conhecimento de como as coisas realmente são por lá, querendo fugir pra Miami. E tendo, no mesmo final de semana, visto algumas pessoas falando umas asneiras no fb, acabei vindo aqui dar meus pitacos. 

Antes de começar, que fique claro que eu acho sim os EUA um lugar muito bom. Meu ponto é que vejo uma idealização, uma visão distorcida das coisas, como se os Estados Unidos fossem o paraíso onde tudo é lindo, tudo funciona, não existem problemas, e toda vez que faço contra pontos, vejo feições confusas. A maioria esmagadora das pessoas aqui realmente não faz a menor ideia de como é a vida - e não as férias - em terras americanas. E não é que eu sei porque morei um tempinho lá. Tem sim a parte da minha vivência, tem o fato de eu estar na segunda empresa americana e ter que ficar explicando pra gringo o custo trabalhista no Brasil, mas tem também o fato de que eu sou curiosa. Na época que ficava choramingando que queria sair do Brasil, pesquisei muito sobre lugares, e aprendi um monte. Aprendi que lugar perfeito não existe. 
Foto: Melissa Lopez
Mas vamos lá. Direitos trabalhistas quase inexistentes. Quando comento com amigos que não existe licença maternidade remunerada, férias remuneradas como regra, 13º salário, seguro desemprego, FGTS, o povo quase cai de costa. Mas é isso mesmo. A licença maternidade é via de regra 4 semanas, e não remunerada. São 4 semanas nas quais você "falta no trabalho", sem que o seu empregador te desconte algo ou te mande embora. Quanto às ferias, quem trabalha no esquema mensalista negocia as próprias férias e, normalmente, é coisa de 7, 10 dias úteis. Conforme você vai tendo mais tempo de casa, vai ganhando mais dias. Pra quem trabalha no esquema horista - como eu trabalhei - vale a máxima aprendida no Chapolin: Time is money. Quer ganhar bem? Trabalhe 80 horas por semana. Quer viajar no feriado? Viaje, mas não receba. Ta com diarréia? Call in sick. E não receba. Se for mandado embora, é isso aí... recebe o do período trabalhado, e boa sorte. Não tem multa, não tem rescisão. De novo, as coisas mudam um pouco caso você ocupe um cargo melhor numa empresa, que pode ter alguns benefícios. 

E o sistema de saúde? Povo aqui xinga muito no SUS e diz que "nunca que nos EUA acontecia uma coisa dessas". Então amiga... Não existe saúde pública nos EUA. Ok, existe, mas ficaria corada de vergonha diante do nosso SUS. No geral, as pessoas tem um "seguro", que não é como nosso plano de saúde. Quase não existe isso de ir no hospital e não tirar um centavo do bolso. Você paga por utilização, e o seguro pode simplesmente resolver não cobrir seu atendimento. To com uma conhecida que teve um princípio de AVC, mas o seguro achou que como foi só princípio, ela não deveria ter ficado 3 dias internadas. Resumindo, não quer pagar a conta de 30 mil dolares. Se você sofrer um acidente, a ambulância vai te levar pra um hospital. Privado. E aí depois você vai ter que se virar. Minha ex vizinha sofreu um acidente lá, e ficou 2 anos em disputa judicial pra não pagar a conta de 180 mil dolares. Gastou uma grana menor com advogado e funcionou. Mas gastou.
Imagem: The Wall Street Journal
Aposentadoria pública, vulgo nosso INSS, é outra coisa que o povo não sabe se é de comer ou de passar debaixo do braço. Só existe fundo de pensão privado. Uma das coisas que mais me cortou o coração nos EUA foi ver velhinhos, nos seus 80 anos, procurando emprego, porque caso não trabalhem, irão passar fome. Alias... A famosa profissão de Greeter do Walmart, tem coisa mais melancólica? Toda vez que eu entrava, eu tinha vontade de abraçar o senhorzinho, chorar, mandar ele pegar um avião pra Pariquera, sei lá. Eu acho digno que encontrem energia, que estejam dispostos, que consigam. Mas não é o sonho de todo mundo poder, ao menos na velhice, descansar? Ou trabalhar por opção? Afinal de contas, é maravilhoso que muita gente consiga se programar, ter uma pensão privada. Mas sabemos que a vida as vezes nos põe obstáculos. Pior que isso: alguém que teve problemas de saúde, que já comprometeu o orçamento da família e que deixou de receber salário por não estar apto a trabalhar, pelos motivos que já disse aqui, simplesmente não tem de onde tirar dinheiro. É a terra das oportunidades... Pra quem tem saúde. 

De novo, digo: eu não acho um lugar ruim pra viver. Muito longe disso. Eu vivo com um americano aqui, e consideramos sim a hipótese de ir pros Estados Unidos. Como eu contei na minha saga do Wisconsin, eu me sentia muito segura. Eu sentia uma tranquilidade em termos de segurança que não tem nem comparação. E pra mim isso não tem preço. Além disso, tem educação, tem infra estrutura, tem muito trabalho pra quem quer e pode trabalhar. Mas acho que precisamos olhar pra todos os lados. Precisamos entender um troço que o americano diz: there is no free lunch. O american dream te dá vários benefícios, e te tira tantos outros. Precisamos saber das coisas, precisamos parar de achar que existe paraíso. O paraíso se chama férias, e ele dura alguns dias por ano. 

Agora, gostaria de convidar os mais entendidos a enriquecer essa conversa. 

10 comentários:

  1. Putz, eu preciso compartilhar esse texto no facebook. Pode?
    Fico irritada quando ouço esse tipo de asneira. Outro dia foi na televisão! O cara dizendo que nos EUA não existia SUS, mas ele falou isso como quem dissesse que isso era algo bom. E isso pq vc nem falou que lá não tem universidade "pública" no nosso sentido da palavra.
    Eu tbm considero e muito a possibilidade de sair daqui, mas nosso país não é tão merda quanto pensamos. Como vc disse, não existe lugar perfeito.
    PS. não sabia que seu boy é americano. Fiquei curiosa rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulinha, eu acabei deixando as universidades de fora porque, ao menos, a educação até segundo grau é pública e de qualidade. Ou seja, a educação fundamental é provida. Mas os preços das Universidades, o tanto que o povo se endivida, é realmente chocante. E isso que é pior.. o povo aqui achar "bonito" não ter um sistema público de saúde. Triste. Pode publicar sim, fique a vontade :)

      Ps - o boy é americano, um desses achados pra vida <3

      Beijos

      Excluir
  2. Gabi, mais um post sensacional!

    A gente é bombardeado de cultura americana no Brasil e temos essa coisa de que tudo nos EUA é melhor, né? Aliás, as pessoas também costumam achar isso da Europa, da Austrália, da Argentina... dos lugares onde eles passaram férias.

    O meu namorado tem um amigo que trabalha e mora nos EUA há uns anos já, com a esposa. Eles ganham SUPER BEM, tipo o dobro do que ganhariam aqui, mas.... não tem férias, não teve licença-maternidade nem porra nenhuma. Ficou doente? Problema seu. É chocante pensar que o trabalhador não tem nenhuma segurança, né? Como você disse, é muito bom pra quem tem saúde.

    E vou comentar de algo que você não mencionou no seu post: as armas. Os Estados Unidos é o único país no mundo onde um louco sai atirando nas pessoas em lugar público ou em plena TV... é absurdo! Essa parcela da sociedade americana que defende as armas me dá arrepios e confesso que me daria muito medo de estar morando nos EUA, ter uma discussão com o vizinho ou um motorista na rua e esse cara sacar uma arma e me dar um tiro, sabe?

    Os direitos trabalhistas no Brasil não muito bons! E pra efeito de comparação, aqui na Irlanda mesmo eu vejo que é assim: o quanto antes, se puder, pague sua previdência privada, porque apesar do sistema de welfare ser um dos mais generosos, não é suficiente. Você não tem um registro, uma segurança. Claro, depende do emprego, da empresa, mas no Brasil é mais padrão a coisa da carteira assinada, né?

    Sistema de saúde aqui também é pago. Uma mera consulta ao clínico geral custa 60 euros e se você vai parar no hospital por algum motivo, pague a conta! O R. ficou em choque da última vez que fomos ao Brasil e eu fui no posto de saúde perto da minha casa pra tomar uma vacina de febre amarela (que eu quis tomar pois aqui teria que pagar - só por garantia de ter a vacina caso viajemos pra algum lugar que exija a bendita). Cheguei com a carteirinha de saúde, falei que queria tomar a vacina e em menos de 5 minutos uma moça me atendeu e aplicou a vacina. Rápido e de graça!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que os direitos trabalhistas criam sim distorções, como aquilo que falei outro dia num post sobre gente que abusa. Mas não da pra nivelar por baixo... O ser humano precisa de um mínimo de segurança pra funcionar bem. E realmente, aqui a legislação empurra pra isso, todo mundo de carteira assinada, um mínimo garantido - o teto do seguro desemprego, por exemplo, não é muito, mas é alguma coisa. É dinheiro pingando na conta de quem foi demitido sem justa causa. A saúde nem se fala. Enquanto morei em Pariquera, não precisei ter plano de saúde. Fazia tudo em hospital público, funcionava que é uma beleza. Aqui em SP cai no Clínicas uma vez e foi a treva. Mas os postinhos são uma belezinha. Isso é impensável em muitos lugares!

      A questão das armas eu pensei já depois que tinha postado... Fica pra uma próxima. É surreal isso. Aquela polaca sem vergonha do WI, no dia que me pos pra fora, falou: you are not allowed in my property. If I see you here, I am going to defend my property in the way I can. Não me esqueço nem da cara dela falando isso. Ou seja.. rala-te bunda que eu enfio bala mesmo. Nem sei se ela falou sério, mas é real, as pessoas podem fazer isso e é de fato chocante.

      Eu tenho a ideia dq na Europa tem países mais sociais, tipo França, e uns mais meio termo, tipo Alemanha, Holanda. Pelo que você contou, me parece que a Irlanda entra por aí também, né?

      Excluir
    2. Sociais em que sentido? Se for no sentido do governo intervir e ajudar socialmente as pessoas, a Irlanda ganha de todos! Aqui tem benefício pra tudo: teve filho? Benefício. Tá desempregado? Benefício pra sempre. Tá desempregado e não tem casa? Benefício pra comprar a casa. É um país que segue muito a coisa do welfare pra todo mundo... e justamente por isso não querem estrangeiros nem imigrantes aqui, já que estes podem acabar tirando vantagem do sistema! Agora, esses benefícios permitem que o cidadão consiga sobreviver, mas pra quem tem um padrão de vida mais alto, depender só disso quando se aposentar não dá, por isso a previdência privada.

      Excluir
    3. Sim, nesse sentido mesmo, bem estar social. Mas esses benefícios tem travas? Pq assim, na França eu sei que é td meio fácil, sabe. Tem um monte de jovem de classe media que fica recebendo seguro desemprego por 2 anos viajando pelo mundo. Na Alemanha, o seguro depende de você buscar emprego. Se depois de um tempo você não achar, eles te arrumam um emprego. Se você não quiser, eles cessam o benefício.
      No caso da previdência, nos EUA eles tem o social security, mas depende de tanta contribuição, e tem tanta trava, que chega no fim da vida, quem precisa quase não consegue acesso.

      Eu acho as travas importantes, evita os escândalos que temos aqi com o bolsa familia, quando muita gente que não precisa recebe. Mas elas tem que servir para evitar abusos, e não pra dificultar o acesso de quem precisa, né...

      Excluir
  3. Nossa, nao sabia sobre esses detalhes nada pequenos dos EUA! Eh por isso que o povo la eh tao workaholic? Pra poder ter mais dinheiro?
    Realmente tem gente que nunca pisou no Paraguai e quer ficar falando que EUA eh o melhor.lugar do mundo.
    Muito interessante suas explicaçoes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só acho estranho num país onde se admira tanto os EUA, valoriza tanto, não divulgarem as informações completas, né... Porque do mesmo jeito que você não sabia, te digo que 95% da população também não sabe. E é isso mesmo, as pessoas trabalharam loucamente porque um ambiente deste acaba sendo super competitivo, além da real necessidade mesmo.
      Eu sigo achando que tudo tem o lado A e o lado B, e dependendo do que você quer pra sua vida, um deles vai pesar mais. Mas me da uma gastura do cão ver gente falando que aqui tudo é uma merda, sem saber dos perrengues que todos os lugares tem.
      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Gabi! Eu acabei de chegar, entao vou esperar passar um temlo para vir aqui dar meus pitacos kkkkkkk Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficarei esperando seus comentários, ahaha.. O Obama andou tentando implementar umas mudanças, fez o tal seguro obrigatório que foi uma puta briga, quis colocar licença maternidade remunerada obrigatória e tal, então acho que tem coisa interessante pra acontecer! Fico no aguardo :) Beijos

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top