São Francisco em 3 dias

Chegar em São Francisco encheu meu coração. Eu olhei pro skyline daquela cidade e já soube que eu amava ela, que queria fincar raiz e morar ali, haha. 
As casas e as janelas. Amor à primeira vista <3
Fomos direto pra casa do Mike, amigo do Mati que nos hospedou. Ele mora muito bem, em North Beach, na esquina da Powell com a Lombard, duas ruas famosas. A Powell porque passa o bonde e a Lombard que é a rua mais íngreme do mundo, com um trecho em zigzag. 
Sair pra jantar e ver a vizinha tocando violino na janela vitoriana. Não é poético?
Vamos ao que interessa. Passei 3 dias intensos em São Francisco, e vou colocar esse roteiro aqui. Ele não é absoluto, mas pro meu gosto foi ótimo. Andamos bastante, mas conseguimos descansar, dormir até mais tarde, e ainda assim ver bastante da cidade mesmo com a luz do dia indo embora às 5 e pouco da tarde. Acho que entre todos os pontos de interesse da cidade, somente não fomos à Alcatraz. Ou seja, rendemos muito! 

Dia 1

Tiramos o dia pra fazer o passeio mais incrível da cidade, na minha modestíssima opinião. Aproveitamos que o dia estava claro (pros padrões de São Francisco), e alugamos uma bicicleta. Você encontra lugares pra locação em vários pontos, e no Fisherman Wharf tem várias opções. Devidamente encasacados, seguimos pelo Fisherman até chegarmos num parque, na beira da água. Dali seguimos na ciclovia, rumo à Golden Gate. A vista é muito boa. Tem a cidade de um lado, Alcatraz de outro, e a ponte longe de outro. O caminho é de boa, plano com algumas poucas (e boas) subidas. Eu sou sedentária e fiz tranquilamente.
Na primeira subida, quando você dá de cara com "ela"
O passeio é todo bom. Além de você ver a cidade, o parque, ainda tem a emoção de ir vendo a ponte ficando cada vez mais próxima. Tinha a tão querida neblina deixando tudo mais mágico ainda, lindo demais. Da pra ir fazendo várias paradas, numa praia, numa mureta, e ela lá, cada vez mais perto.

Surfistas da Golden Gate

A ponte é um colosso. É realmente emocionante cruzar ela, ver o tamanho da torre de suspensão, saber que você está ali. Preciso nem dizer que eu dei uma choradinha enquanto atravessava a ponte pedalando, com o vento na cara, a cidade no fundo, a sensação de estar no topo do mundo. Pra mim esse passeio foi de fato o ponto alto de São Francisco.

Do outro lado da Golden Gate está Salsalito, uma cidade mega charmosa, na beira da baia. Estacionamos as bikes num estacionamento público, e ficamos explorando a cidade. A fome bateu, e fomos a um bar gostosinho, o Bar Bocce. Estavamos com bastante frio depois da pedalada no vento, e ali tinha uma fogueirinha de frente pro mar, comida gostosa, vinho californiano, um aconchego.
A vista em Salsalito
Uma dica pra quem fizer esse passeio: chegando em Salsalito, já fica de olho no horário do ferry pra voltar, porque tem vários, mas depois das 4 são poucos. Da até pra voltar de bike, mas é uma baaaita subida. Não recomendo, rs. Da pra pegar um ferry malandro, que traz a bicicleta também. Devido a intensidade do programa do dia, de noite estavamos desgraçados de cansado, então fomos jantar num chinês - que também recomendo - em North Beach, Henry´s Hunan, e depois cama.

Dia 2

Foi o dia de dar um geralzão em San Francisco. O Mike, amigo do Matt que nos hospedou, estava livre e nos mostrou a cidade quase toda. Começamos andando em China Town. Muito comércio, muitas lojinhas de tranqueirinhas e restaurantes. Percebemos que as ruas estavam forradas de carros antigos, e xeretando aqui e ali, descobrimos que estavam gravando um filme sobre a vida do Bruce Lee.
foto by @mmreyno
Fomos andando por lá até chegar na Union Square, a praça mais famosa de San Francisco, com lojas ricas e famosas, restaurantes, hoteis chics, e tal. O problema é que a praça estava em reforma, então não tive um bom overview. Dali seguimos pela Powell, e passamos pela fila do tram. O bonde de São Francisco é super icônico, mas gente.. uma fila que não fazia sentido. Aproveitei que tinha um estacionado, subi, tirei foto, mas não passeei nele não.

De lá seguimos para o Mission, bairro até pouco tempo atrás bem mexicano, e hoje totalmente gentrificado e tomado pelos hipsters. Eu tenho uma opinião sobre essa gentrificação hipsterizada, que cria lugares legais pra gente passear porém tira moradia de tanta gente, mas vai ficar pra outro post. O bairro é uma delícia, super sossegado, com muitas lojas legais, taquerias autênticas, um parque lindo no alto, e as casinhas charmosas sempre lá. Passamos por vários bares bacanas, vários murais de grafite, um prato cheio pra bater perna. A minha recomendação é a Taqueria Farolito. Comida super gostosa com preço bom. A fila é gigante, mas fica a dica: do lado tem uma porta que dá num bar mexicano, frequentado por mexicanos, com juke box cheia de músicas mexicanas, e serve a comida da taqueria, sem fila ;)
Pelos becos do Mission
Quando exaurimos as ruas do Mission, pegamos um Uber e fomos pra Alamo Square, a praça em frente às casas mais famosas de São Francisco. Sim, as painted ladies, também conhecidas como as casinhas do Full House. Essas casas são chamadas de Painted Ladies porque na época da Segunda Guerra todas as casa em São Francisco foram pintadas de cinza. Após a Guerra, alguns donos começaram a pintar as suas casas em tons pasteis, pra trazer mais alegria pra vida, ganhando esse nome. Pela segunda vez no dia, vimos a filmagem de um filme. Esse mais alternativo, e eu anotei o nome aqui pra procurar depois: The Year of Spetacular Men.
Mais uma foto do @mmreyno. Estava começando a escurecer, e meus dotes fotográficos não sabem lidar com lusco fusco.
De lá andamos até o bairro Hippie, Heights & Ashburn. Na real, o nome do bairro é o cruzamento mais famoso: da rua Heights com a rua Ashburn. Lá eu vi um troço interessante: eu já ouvi falar várias vezes que em São Francisco tem muito mendigo e gente louca. Até então não tinha notado, mas no bairro hippie eles apareceram. Eles sendo doidos na deles, falando sozinhos, muita gente aparentemente naquela viagem de ácido que nunca teve fim, nada que tenha me deixado com medo, mas que me fez pensar um pouco nos rumos que a vida as vezes leva.

O dia de novo foi bem puxado, então acabamos voltando pra casa, comendo num indiano delícia que esqueci de anotar o nome e só. Pois é, nosso sábado em São Francisco passou zerado de balada.

Dia 3

Domingo era nosso último dia. O Mike foi pra Napa Valley, o pedaço da California famoso pelas vinícolas. Fica em torno de 1h ao norte de São Francisco, mas nós optamos por ficar na cidade e explorar mais um pouco. Um passeio clássico que poderíamos ter feito nesse dia é a visita à Alcatraz, a famosa prisão de segurança máxima dos EUA. Como toma ao menos metade de um dia, eu decidi que ia deixar pra depois. Eu ainda queria explorar mais.

Então descemos e fomos pro Fisherman Wharf, o famoso pier de São Francisco. Lá é a parte mais turística da cidade, e por consequência, com preços mais salgados. Tem muitos restaurantes - inclusive o Buba Gamp - muitas lojas de souvenir, muitos artistas de rua e muitas focas <3
Depois de muito admirar essas belezinhas, que fedem um pouco e gritam muito, seguimos andando e subimos uma graaaande ladeira, rumo à Lombard Street, a rua mais íngreme do mundo. Tão íngreme que tem uma parte em zigzag.
SF é um grande aglomerado de ladeiras. Você vê a cidade e consegue vizualizar as montanhas em que ela se assenta. É um bom exercício pras pernas, mas olha.. vi gente andando de bicicleta pelas ladeiras, e respect. A Lombard é uma gracinha, tem esse jardim ai na parte em zigzag, mas é tão apinhada de turista que eu fiquei foi com dó dos moradores haha. Alias, foi nesse trecho em que vi o maior número de brasileiros na cidade.

O dia foi entardecendo e chegando a nossa hora de partir. Ainda demos uma andada pelas redondezas do apartamento, e fomos até a Coit Tower, uma torre que da uma vista legal de toda a Baia. A fila estava imensa, então só ficamos pelo térreo. Por estar também no topo de uma colina, já valeu a pena. Voltamos pra casa, nos despedimos do Mike, e caímos na estrada.

São Francisco era tudo aquilo que eu imaginava: uma cidade linda, que vibra, charmosa, com pessoas interessantes, comida gostosa, um clima leve, tudo de bom. Eu fiquei apaixonada pela vida que a cidade transmite, pelas casas, pelas janelas, e queria morar lá no instante em que pisei nela. Feliz é quem mora, e feliz é quem volta. Eu voltarei.
If you are going to San Francisco... 

10 comentários:

  1. Ai meu Pai, já pisei na Califórnia mas nunca em SF. Depois desse post preciso fazer planos para ir pra lá !!!
    Beijos!!!
    Querido Deus,obg por me exportar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, vai mesmo! Vale cada segundo e cada centavo :) Beijos!

      Excluir
  2. SF e um dos lugares que mais tenho vontade de visitar aqui nos EUA, ja tenho ate meu roteiro feito mas adorei ver o seu e tirei algumas ideias =) Olha por alguma razao aqui nesse pais e doido demais, chega me da tristeza sabe e sobre a gentrificacao SF e NY sao as piores cidades pra morar por causa delas, pois elevaram muito o valor dos alugueis e estao basicamente virando cidades de "ricos"...to doida pra ler um post seu com a impressao sobre o assunto. Lindas fotos, passeio incrivel e espero voltar de la com a mesma impressao que voce.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois que você for, faz um post pra gente se divertir. Cada um vai ter seu olhar sobre uma cidade, né? E eu adoro ver o olhar dos outros. Sobre a gentrificação, em breve sai algo - é um assunto que me dá algum desgosto, viu, rs. Beijos

      Excluir
  3. Senti amor nesse post!!! Amei. Que vontade de San Francisco fiquei agora... Essas casas estilo full house <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi amor demais, amor a primeira vista Paulinha. Certamente vale colocar na listinha de possíveis férias! Beijos

      Excluir
  4. Meu, São Francisco parece ser uma cidade única mesmo. Sabe aquela blogueira do Um Ano sem Zara? Ela mora lá agora e acompanho ela às vezes no snapchat, ela sempre mostra lugares na cidade, passeios e tal... dá muita vontade de conhecer! Essa sua foto na praia olhando pra ponte está digna de quadro, sério. E essa entre os muros coloridos tá linda também, amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sigo ela no Instagram, e de fato ela faz uma propaganda boa demais da cidade. É tudo aquilo que ela posta e um pouco mais! Mateus tira muita fotografia boa, e vou dizer que eu adoro dar uma de modelo pra ele, ai tenho fotos bem bafo das viagens! Beijos

      Excluir
  5. Que delícia de relato Gabi! Estou encantada. Andar de bicicleta em São Francisco <3.
    Eu adoraria visitar essa cidade! Serei muito feliz se algum dia conseguir :)
    bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu AMO andar de bicicleta, acho que dá uma sensação maravilhosa de liberdade. Fazer isso quando se visita um lugar é incrível de mais! Eu espero que um dia você vá, ame como eu amei, curta muito e tire lindas fotos :) Beijos!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top