Ninguém tem que nada

To numa fase da vida que é muuuito legal, mas que demanda um certo esforço pra ariana bocuda feito eu não sair mandando metade do mundo tomar no meio daquele lugar. Antes que me achem mal criada - e até sou de vez em quando, mas agora não rs, explico. 

Tenho um enteado, né. Depois que ele entrou na minha vida, comecei a prestar muito mais atenção nesses papos de mãe, porque de certa forma, passou a fazer mais parte do meu dia a dia. E aí que percebi que é um festival de cagação de regra, né. tem que dar colo, tem que deixar chorar um pouco, não pode deixar ver tv, tem que dormir a tarde, tem que tirar a fralda logo, tem que botar na escola, tem que mil coisas. Povo é rei de saber o que é melhor pro filho dos outros. 

Eu, que sou madrasta, já tento não me meter nas diretrizes das coisas, mas é só ir no mercadinho da minha rua que a tia do caixa é cheia de pitaco (juro). Outro dia ela lá falando "tem que tirar a fralda desse menino". Eu sei que é na melhor das intenções, ela é um amor. Ela dá uva pra ele e deixa ele sentar no caixa, fingindo que ta registrando as compras. Mas outro dia tive que falar: eu que troco as fraldas não acho. Você acha por quê? Porra, respeita o espaço dos outros, sabe. Quem cria conhece a criança, conhece a evolução da criança, conhece o tempo da criança, e sabe a hora de botar na escola ou tirar a fralda. Acho uma tremenda invasão. E isso acontece em todo canto. Todo mundo tem um pitaco sobre a maternidade alheia. E o tanto que andam crucificando mães por aí? Dizendo quem cria filho certo, quem cria filho errado? Que parto tem que ser assim ou assado? Tem que amamentar não sei que jeito, senão num é mãe... 
Ai eu vou casar. Não vou fazer festão, não to bridezilla, não nada. Estamos fazendo tudo do nosso jeito, e acaba que estou vivendo esse momento na maior solidão. Isso porque cada vez que alguém me pergunta algo e eu começo a falar, o povo vem com os "tem que". Tem que ir vestida de noiva, tem que ter véu, tem que tocar marcha, tem que chamar num sei quem, tem que ter mesa de doces.

Só que eu não tenho que merda nenhuma. O casamento é meu, o sonho é meu, e se eu quiser ir de jeans e camiseta, eu vou. Porque afinal de contas, tem que ser do jeito que eu quiser, e não do jeito que o povo acha que tem que ser, sabe? To fazendo algum sentido? 

É uma pena, porque eu acabo deixando de falar sobre esse momento especial com um monte de gente. Ou então, acabo no meio de diálogos desagradáveis, tipo um que foi eu falando pra uma amiga super querida algo do tipo "então, mas você não sabe quais são os meus sonhos pra esse dia. E não tem nada a ver com isso aí que você ta dizendo que eu tenho que fazer". E aí, ela se sentiu mal, eu me senti mal, e pronto, olha a merda... Eu simplesmente estou evitando o assunto. 

Opinião todo mundo tem. Eu também tenho. Me pergunte sobre qualquer coisa aí, que é muito provável que eu tenha uma opinião. Mas eu to tentando saber a hora de expor essa opinião. Me perguntou? Ótimo, vou falar. Caso contrário, tento segurar a minha onda. E mais que isso: precisamos parar de achar que os outros tem que suprir nossas expectativas. Ou que os outros tem que seguir a nossa concepção de "certo" e "errado". Esse é um exercício constante.

Precisamos aprender a hora de segurar o "tem que" que tem dentro da nossa boca, e lembrar que as pessoas, na maioria dos casos, não tem que nada. Não tem que casar, não tem que namorar, não tem que engravidar, não tem que dançar valsa, não tem que financiar casa, não tem que comer orgânicos. Talvez o único tem que obrigatório, seja o "tem que respeitar os outros". 

9 comentários:

  1. Clap, clap, clap. Já falei que adoro seus textos??
    Mande pra porra mesmo e seja feliz.
    Xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Paulinha. Vou dizer que tem hora que tem que desabafar mesmo, pra manter a sanidade haha! Beijos

      Excluir
  2. Haha, Gabi, se eu já gostava do seu blog agora eu gosto ainda mais! Tá certíssima!
    Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ser humano é complicado demais, né? Eu não dou conta, ai acabo virando a "bocuda" do pedaço. Beijos!

      Excluir
  3. Nao era pra ser engracado mas eu ri muito, por que eu sei como e isso sabe...o famoso "tem que" e isso me deixa louca mas como voce tambem me sinto muito isolada em varias ocasioes da vida por conta da minha falta de paciencia e vontade de ouvir opinioes nao solicitadas...concordo com voce, ta dificil viver nesse mundo..rrs.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Opinião não solicitada AND impondo coisas pra gente, né?
      Realmente foi um desabafo, rs, e meus desabafos as vezes saem histéricos, aí fica engraçado mesmo hahaha!

      Excluir
  4. Gabi, sou muito sua fã, cara, sério. Eu concordo MUITO com você. Tipo, depois que passei a ser babá aqui na Irlanda, também comecei a reparar muito no mundo da maternidade - e pra completar, tenho várias amigas tendo bebês, então já viu. O negócio é tenso... é um mundo de uma critica o jeito da outra criar os filhos que pelo amor. O povo adora dar pitaco, e não me excluo dessa não! Também tenho aaaaaltos pitacos pra dar sobre as crianças que cuido, mas nunca falei nada pra mãe delas - sobra pros ouvidos do R. hahahha! Uma coisa é você ter uma opinião; outra é encher o saco da mãe com a sua opinião. Se não pediram, não dê.

    Sobre o lance de casamento, só quero ver quando eu for casar. Odeio coisas tradicionais e também fico pensando já nas pessoas criticando porque não quero marcha nupcial, não quero isso e aquilo... e as pessoas tem certas expectativas, né? Muita gente acaba fazendo coisas que não gostaria pelos pais ou família, mas eu não. Como você disse, se quiser casar de jeans e camiseta, case! Vá ser feliz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que essa "invasão" dos outros acontece nas coisas mais banais da vida. Tipo: "cade os namorado? Vão casar quando? E os filho, quando vem? E o segundo, essa criança vai ficar mimada, precisa de irmão logo". De certa forma, é querer empurrar um padrão certo, né. E eu nunca tive paciência, e cada vez tenho menos (até mesmo porque estou na fase que o povo mais gosta de se intrometer - trintona, fértil, noiva). E é o que você falou... Uma coisa é a gente achar as coisas dentro da casa da gente, outra coisa é jogar na cara dos outros a nossa opinião muitas vezes não solicitada.
      To aprendendo a fazer a Gloria Pires e dizer que não sou capaz de opinar, haha. Alias, acho que essa participação dela no Oscar foi um grande ensinamento de como não se falar sobre o que não sabe. Pena que as pessoas não perceberam hahaha.

      Excluir
  5. cara, TEM QUE mandar tomar no meio daquele lugar mesmo.
    casei pelas bandas de cá por motivos de que do lado de cá tem menos "tem que" pra esse tipo de coisa (ou pelo menos eu aprendi a dizer 'foda-se' em alemäo melhor do que em português)... porque o casamento era meu (e no caso é seu) e só 'tem que' ser do jeito que eu (e que tu no teu) quero, oras.
    no mais... acho que o GIF diz tudo.
    que o universo te dê paciência pra que as coisas saiam do jeito que você (e o futuro maridinho) esperam que seja.

    ResponderExcluir

Follow @ Instagram

Back to Top