Precisamos falar sobre a elite brasileira - Parte 2

"Era uma vez um cara rico, muito rico, da alta roda paulistana, casado com uma também bem nascida, ambos famosos nas colunas e redes sociais. Um dia o sujeito em questão enche a cara e vai visitar uma ~amiga~, às 6h da manhã. Chegando lá, ele faz uma barbaridade com o volante e, além de tombar o próprio carro (um veículo cujo valor de mercado gira em torno de 250 mil reais), ele quase dá perda total num carro X encostado na rua. O belo rapaz não quer que o dono do carro X faça BO, ou acione o seguro, faça nada, porque o caso não pode chegar ao conhecimento público, da mídia. De repente, todos os policiais e bombeiros que estão no local, somem. A criatura fica surtada de um lado pro outo cobrindo o rosto. Ele sai de cena e entra sua mãe, que, vendo a humildade das pessoas envolvidas, diz que vai pagar todo o prejuízo e faz algumas ameaças para que não seja lavrado o BO."

Essa história é real. Numa conversa casual, minha amiga me contou o ocorrido com o carro do marido e relatou que já fazia 12 dias, sem que tivessem recebido nada. Então eu resolvi assumir a coisa, como boa barraqueira advogada que sou. Depois de muita conversa com a Sra. socialite mãe do belo rapaz, algumas em tons mais amigáveis, outras não tão amigáveis assim, o assunto foi resolvido.

Algumas observações:
- a impressão é que os polícias que sumiram da cena, o fizeram a troco de algo;
- antes de eu me envolver no assunto, a mãe do menino mentiu pra minha amiga, dizendo que tinha comprado o carro que o menino dirigia com todo o esforço de uma vida, que não sabia da onde ia tirar dinheiro pra pagar o prejuízo. Só dar uma zapeada nas redes sociais que você vê a a Sra em questão, ou esposa do cara, carregando o valor de dois carros no look - ou seja, queria mesmo era enganar algumas pessoas e sair dessa história sem pagar nada;
- depois queria pagar o conserto até um certo valor, e não o valor total;
- o marido da minha amiga usa o carro para trabalhar, é vendedor. A princípio, a socialite não queria pagar o aluguel de carro reserva pelos 15 dias estimados para conserto. Depois de muita conversa disse que pagaria 50%. Diante da minha insistência no que é correto, soltou a célebre frase "Você deu foi sorte. Tem muita gente por aí que não paga nada". Tive que eu lembrar uma senhora, no alto de seus muitos anos, que não é porque todo mundo faz errado, que virou certo - e que ela não estava fazendo nenhum favor em pagar os prejuízos que o filho dela causou, e que não foram levados à seguradora por pedido deles;
- já disse que um marmanjo de quase 30 anos chamou a mãe pra limpar a sujeira? Se não disse, ta dito.

Eu já abordei esse assunto aqui no blog uma vez. Naquele post, minha reflexão foi sobre a atitude de adolescentes, seres humanos em formação, e a condescendência dos pais. E aqui a gente vê o resultado dessa educação sem limites, desse senso de merecimento sem fim que a nossa sociedade põe na cabeça de seus filhos, e que cria adultos irresponsáveis, incapazes de lidar com as consequências de seus atos.

Primeiro que esse sujeito poderia ter matado alguém. Ele, bêbado, perdeu o controle do carro numa rua movimentada, 6 horas da manhã, horário em que várias pessoas estão indo pro trabalho (inclusive minha amiga e seu marido, que viram tudo quase em tempo real). E quis fugir de sua responsabilidade simplesmente porque estava onde não devia estar, fazendo algo que não deveria fazer. Mas isso daí não é a vida? Assumir os próprios erros? Encarar as consequências?

Segundo: entendo uma mãe querer proteger o filho, mas que educação é essa? Em que você mostra ao seu filho que, porque tem dinheiro, ele pode tudo, que se dá jeito em tudo, que se compra todos e cala quem for preciso? Minha amiga e sua família ficaram apavorados. Eles simplesmente não lavraram um boletim de ocorrência, perderam o direito ao seguro, porque ficaram assustados com as ameaças recebidas. Ficaram receosos pela influência que essas pessoas tem, e porque o acidente foi na frente de sua casa - ou seja, eles sabiam onde moravam. E pergunto: é isso mesmo que você quer ensinar aos seus filhos? Que você amedronta as pessoas afetadas por suas atitudes irresponsáveis? O cara é casado, tem seus quase 30 anos e ainda resolvem as coisas assim, ou seja, passaram uma vida ensinando a criatura de que esse é o jeito certo de agir na vida.

Ah, e uma constatação: esse rapaz já esteve nas manifestações de domingo na Paulista contra tudo isso que ta aí, contra a corrupção do PT, contra essa corja que está acabando com o Brasil. Essas pessoas não olham pra si. Elas acham que o problema do Brasil são os outros. Não percebem que fazem a mesmíssima coisa. Acham que estão simplesmente se defendendo, e não percebem que estão defendendo interesses próprios da mesma forma que todos os políticos corruptos que temos. E pergunto: isso é ignorância? Não né. São pessoas que frequentaram as melhores escolas e tiveram acesso a tudo, e escolhem ser assim.

Por fim, só digo uma coisa: quem vê o garbo desse povo na Vogue e  no instagram não imagina o nível das barbaridades que eles falam por dinheiro. E eu que entrei nessa história achando que era uma barraqueira de mão cheia, saí dela me achando a personificação da elegância. 

14 comentários:

  1. Nossa, mas que raiva que dá gente dessa laia...é exatamente o que vc falou: esse povo tá lá manifestando por um Brasil sem corrupção e praticam ela descaradamente! Uma mãe que acoberta uma coisa dessa tá criando um monstro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Já criou, porque o cara, embora esqueça que é adulto, é. Eu só lamento, por ele, por nós que temos gente como ele na sociedade, pelo Brasil, por tudo.

      Excluir
  2. Nossa, Gabi.. até dá um negócio ler uma história dessas, e o pior, que deve acontecer aos montes coisas assim ou parecidas na vida dessa elite brasileira. Quantos são os casos que quem não faz parte dessa elite tem que sofrer as consequencias da irresponsabilidade desse povo e ainda de quebra, ser ameaçado, é de dar nojo! A mesma mãe que passa a mão na cabeça do filho na escola, achando que porque tem dinheiro, pode simplesmente fazer o que bem entender e desrespeitar professores, é essa mesma mãe que passa a mão na cabeça do filho bebado que tá envolvido em acidentes, em tráfico e até assassinato. E são esses 'BELOS' exemplos de seres humanos que tão aí protestando de verde e amarelo por um país melhor e menos corrupto O.O

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Tais, da nojo. São pessoas que se consideram acima de tudo e todos. Mas eu ainda fico impressionada porque, como disse, a gente costuma achar que o problema do Brasil é falta de acesso à educação, cultura, e não é. Porque não faltou acesso a nada pra essas pessoas, e elas estão aí, atrasando o Brasil. Um horror.

      Excluir
  3. Seus textos, como sempre, um show! Pena que saio dele, meio assim, desanimada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulinha, agradeço o elogio, mas eu preferia não ter que escrever, rs. Me dá muito desgosto, te entendo viu. Beijos!

      Excluir
  4. Eu fiquei de cara com essa história. A gente sempre ouve falar, mas saber assim dos detalhes com quem esteve envolvido na história, é de dar um desgosto do Brasil... Enquanto lia seu texto pensava nas mães que iam defender seus filhos na Cultura Inglesa. Uma vez uma mãe veio falar comigo porque o "filhinho" dela não tinha conseguido entregar a redação na data certa porque tinha sido culpa dela, que não poderia levá-lo à escola no dia e ele perdeu o prazo. SEI. Tive que aceitar a merda da redação porque o meu gerente mandou, mas é assim que as coisas acontecem. Uma simples redação vira um caso desse que você relatou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Eu sempre penso em causa e consequência. Crianças, adolescentes, tem que entender que há consequências pros seus atos. Quando os pais abrandam tudo, arrumam desculpas, eles mesmo mentem pra professores, acho que a lição que ta ficando pro filho é que ele pode fazer qualquer coisa, que não haverá consequências. E uma vez que você aprende que as coisas são assim, já era... Hoje é uma lição, amanhã é dirigir bêbado, e por aí vai. É o que ele aprendeu. Uma pena.

      Excluir
  5. Sabe que nunca confio muito nessas celebridades de instagram? Sempre me passam uma imagem de vazio enorme. Não só de vida, mas de caráter tb.
    Engraçado um sujeito de 30 anos se comportando como se tivesse 15. Sendo constantemente pageado, fico imaginando o que vai virar quando a mãe não estiver mais aí pra limpar a sujeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu penso um pouco assim também. Esse povo expõe tanto, vive uma vida de vitrine, pros outros verem, mas zero de verdade, né. Obrigada pela visita :)

      Excluir
  6. To horrorizada com essa historia, como a Paulinha comentou, as vezes me da um desanimo com o povo da terrinha =/ Tem tanto problema no nosso pais que e meio raso falar de um caso isolado, mas vou dar minha opiniao nao solicitada...rsrs. O problema do nosso pais e educação, mas não aquela recebida na escola, mas aquela onde os pais gastam tempo com os filhos dando limites e ensinando pra vida. Acho que falta a gente (sociedade brasileira) um certo orgulho de criar filhos pra ajudar a construir um pais melhor. A galera mais rica tem essa mentalidade doida que o resto e um incoveniente necessario na vida deles pra servir e ter a cara esfregada com o poder deles... Os mais pobres tem uma mentalidade pequena de gritar por um sistema comunista onde se divide bens, mas eles mesmos não tão se esforçando muito pra produzir bens pra ser feita a tal divisão...Na epoca que dava aula no RJ eu trabalhei em escolas localizadas em areas bem pobres e dei aula em uma das escolas mais caras do Estado; a atitude dos alunos e pais eram as mesmas so que em proporção diferentes, e era de assustar...na area rica era ameaça de processo quando o aluno tirava notas baixas, na escola pobre eram os pais ameaçando os professores de porrada. Ai volta na questão da pobreza de educação, que tipo de adultos eles vão ser com esses exemplos em casa, onde se consegue tudo que quer (mesmo errado) na base da ameaça moral, fisica ou legal? Bem o resultado e esse ai que voce teve que lidar...mas e triste demais =/
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MUITO interessante seu comentário, Monique. Nada de opinião não solicitada, ta.. A gente escreve no blog convidando pro debate mesmo, não é? É isso mesmo. As pessoas estão terceirizando a educação pra escola. Querem leis que proíbem tudo, que não deixa fazer propaganda de brinquedo, de comida, etc, pro governo acabar "educando" o filho, ao invés de ensinar limites, ensinar que existe o "não", etc. E isso é em todas as camadas sociais, e se manifestam das mais diversas maneiras. Mas o que ainda me deixa estarrecida é que a elite tem condições, sabe. Eles tem as ferramentas, eles deveriam ter o conhecimento, eles tem o tempo e o sistema a seu dispor. E não só não fazem nada, como por vezes dão os piores exemplos. Enfim, essa conversa da muito pano pra manga, né... É de desanimar.

      Excluir
  7. sabe o que é pior depois de ler uma história absurda dessas? é näo se chocar. é saber que é absolutamente normal (embora näo menos absurdo) uma coisa assim acontecer. muito bom texto, gabi. também escrito num momento político pertinente. tenho evitado discutir política com as pessoas que täo no brasil (tô täo longe, tenho täo pouco tempo pra falar com elas, näo quero me estressar no pouco tempo que já tenho)... mas tenho lido TANTA barbaridade. tanta gente apontando o dedo pra onde tá o problema, sem por um segundo cogitar que também faz parte, sabe?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, pra discutir política tem que tomar dramin antes, porque da enjoo. O que impera, neste momento no Brasil, é aquela coisinha sabe "O inferno são os outros". Olhar pro próprio rabo, ninguém quer. Eu tenho muita preguiça de discutir, porque ainda por cima, as pessoas estão cegas e surdas, não querem ver nada, nem ouvir, só querem gritar e impor. Difcílimo!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top