Kinder Garten

Desde o dia que botei os pés aqui em Berna rolou uma frustração forte com o fator língua. Eu já viajei para lugares onde não fazia idéia do idioma, mas eu cheguei aqui pra morar, e a barreira de comunicação em casa virou um calo no meu pé. 


Primeiro que eu sou faladeira, né... Imaginem o que é pra um ser que fala feito eu simplesmente não conseguir me comunicar. Outra que as pessoas sabem sim falar inglês, mas a vida aqui acontece em alemão, os produtos estão em alemão nas prateleiras, os programas na tv, tudo. Então você depende da boa vontade dos outros em te explicar, te ajudar, querer traduzir algo pra você. E taí outra coisa que me agonia, depender dos outros. Nesses 45 dias rolou muita mímica, improviso, italiano da Terra Nostra e um choro alto no meio da rua, vindo do mais profundo saco cheio. E obviamente, ainda vai rolar muito mais. 

Mas ontem comecei a escola de alemão. Ontem aprendi a me apresentar, hoje o alfabeto e os números. Me sinto uma criança que está descobrindo o mundo, as letras e os sons. Uma criança com vergonha de falar na frente dos colegas de sala, que faz lição de casa, que tenta decorar todas as palavras, que fica repetindo os números baixinho. Uma criança que está aprendendo a ler e escrever. 

Jajá serei uma criança que poderá ir ao supermercado e voltar com a sacola cheia das coisas que queria comprar, ao invés de café em grão pensando que era café moído :)

16 comentários:

  1. Ai, que gracinha! Hahaha
    Que legal Gabi! É sempre um desafio aprender algo novo...alemão então deve ser dificílimo. Espero que logo você se acostume coma lingua, e vivendo aí vc aprende rápido! Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vantagem de aprender uma língua que você não faz ideia, é que o começo voa, você aprende muito. Essas primeiras semanas tem rendido muito. Desafiador porém recompensador. Beijos!

      Excluir
  2. cara, tu vai conseguir sim! e mesmo que 10 anos depois tu continue frustrada por näo saber se é 'die', 'der' ou 'das' tu vai perceber que acontece mesmo mais rápido do que pensa. vence a vergonha e o resto vem (talvez com mais um chorinho ou outro, mas vem)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha.. nem fala nesses artigos, que é aí que a porca torce o rabo, rs. Mas já morri de alegria de entender os números! Aos poucos a gente vai indo :)

      Excluir
  3. Quando vi essa foto fiquei: MEO DEOS QUE GABI FOFINEA <3
    Pode parecer meio loucura minha, mas eu sempre tive vontade de ir morar um tempo que fosse em algum lugar com uma lingua que nao seja ingles ou espanhol, algo bem diferente (quase aconteceu eu indo pra Hungria, meeeeeeega diferente hahha).. só pelo desafio, sabe?
    Mas como a Ana falou, você vai conseguir sim.. alemão não é uma língua fácil, mas não é impossível, you go girl!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente... call me preguiçosa, mas tudo que eu queria era morar num lugar em que a língua fosse fácil, haha. Se tivessemos ido pro lado francês tenho certeza que a coisa decolaria com mais rapidez. Mas ok, não sou de fugir da raia, então né.. estamos indo! E com aula todo dia a coisa flui. E obrigada pela fofurisse hahaha.. agora to percebendo a cara de criança da foto em questão. os 30 anos agradecem hahaha!

      Excluir
  4. Gabi tu tá com cara do que do descreveu no texto! Tão fofinha quanto uma criança indo pra escola.
    O que posso dizer? Já passei por essa fase e no começo o alemão parece muito assustador, mas com o tempo você se acostumar com a língua e claro que vai aprender. Depois de 3 anos morando aqui ainda cometo muitos erros e sei que nunca vou falar como um nativo, mas aos poucos a gente vai soltando a língua e perdendo a vergonha de falar. Boa sorte querida!

    p.s andei sumidinha daqui mas acompanhei seus posts da mudança pelo bloglovin. Amei que você foi conhecer Lauterbrunnen, pois escrevi recentemente sobre lá.

    Enfim, vai com tudo! Alemão não é um bicho de sete cabeças. Se você se permitir acreditar que ele não é tão difícil quanto falam, você vai aprender bem mais rápido!
    Viel Spaß!
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ana. Obrigada pela força! Ver alguém que está mandando bem me dar força mostra que yes, I can. Ou sei lá como se diz isso em alemão hahaha... Realmente, a gente nunca vai soar como nativa, mas também não preciso disso. Só quero me comunicar e não depender de ninguém.

      Sabia que eu lembrei do seu post de Lauterbrunnen? Das suas fotos lindas? Assim que botei os olhos naquelas casinhas no gramado verde eu lembrei :)
      Beijos!

      Excluir
  5. Ahhhhhhh que fofa! Como as meninas comentaram por aqui, alemão pode parecer um bicho de 7 cabeças, mas não é impossível de aprender e no começo você percebe sua evolução demais, porque como tá aprendendo tudo do comecinho - sons, alfabeto, números, em poucos meses você vai falar: caramba, eu não sabia nada e já sei tudo isso agora! Vai de coração aberto e conta tudo aqui pra gente, claro! :) Beijos e muito boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bárbara, nessa de aprender uma nova língua já me peguei analisando várias coisas com bases nos seus textos. O fato das professoras tentarem não falar inglês na sala, a pronúncia de cada aluno (minha sala é uma babel, com gente de todo canto), a entonação e onde erramos, essas coisas.. sempre acabo relacionando com algo sobre estudo de línguas que li no seu blog, e vou entendendo melhor os erros que cometemos e porque haha. Muito legal ter esse conhecimento! Obrigada por ir ensinando a gente sobre o nosso "cérebro". Beijos!

      Excluir
    2. Que legal, Gabi, fico muito muito feliz! :D De onde são as pessoas da sua turma? O que você nota em termos de entonação, pronúncia em relação à primeira língua de cada um?

      Excluir
    3. Bárbara, é uma babel. A turma acho que tem três iranianos, um saudita, uma sulafricana, uma macedonia, uma dominicana, eu, uma americana, um francês, uma italiana e uma suíça de língua francesa. Percebo principalmente questão de letras. A dominicana fala B em vez de V, o saudita fala B em vez de P, e a americana tem os probleminhas com R (que ela fala aquele R americano em vez do RrrRRr do alemão). Eu acabo seguindo a entonação brasileira, de seguir oxítonas, proparoxítonas, etc, que por óbvio não é a regra daqui. Agora, eu não sei como funciona o persa, mas as duas iranianas são um arraso na aula hahaha...

      Excluir
  6. Ta tão munitinha na foto =) Entendo voce super bem, mas como ja aconselharam ai em cima, com dedicação e paciencia voce chega la e daqui a pouco solta a lingua. Boas aulas!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente.. eu dei risada na hora que Mateus tirou a foto, porque o feeling era realmente de uma criança. Agora com vocês falando da minha cara, tenho certeza que eu tava parecendo uma mesmo hahaha... E é isso mesmo, calma, dedicação, a coisa acontece. Beijos!

      Excluir
  7. Acabei de chegar no blog e entendo perfeitamente esse sentimento de ser uma criança que está aprendendo tudo do zero. Só troca o alemão por ucraniano que sou eu quando cheguei em Kiev. Mas ó, daqui a 6 meses você vai olhar pra trás e pensar: caramba, olha o quanto eu já aprendi!!! E cada conquista é uma delícia. :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, Alessandra. Eu nem imagino o que seja cair num país tão diferente como a Ucrania. Meu marido já morou lá, e quando ele conta as coisas, eu fico pensando que eu pastaria muito. Parabéns pela coragem!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top