Encarando a neve

Desde que cheguei aqui na Suíça comecei a perceber a dimensão que tem os esportes de neve - ski e snowboard -  no país. Mesmo no verão víamos pessoas subindo até as geleiras para esquiar, setores inteiros de lojas dedicados a isso, pessoas enlouquecidas aproveitando pra comprar equipamento por precinhos camaradas em loja de segunda mão. Quando Mateus começou a trabalhar, aí entendemos de vez: a escola em que ele trabalha simplesmente fecha todas as sextas feiras entre janeiro e março, e todo mundo vai esquiar. Da pra imaginar? Inclusive, em fevereiro - pelo que me falaram - o país entra em marcha lenta e vai todo mundo pra montanha. A conferir. 

Fato é que entendemos que os esportes de neve fazem parte do dia a dia aqui, que rola muita socialização na montanha, o que é também um jeito de fazer o inverno super rigoroso que se abate sobre o país mais animado e a gente não queria ficar de fora. Mati já morou na Áustria, então já tinha alguma experiência e acabou comprando um snowboard de um ex professor da escola logo que chegamos aqui. Eu, verdade verdadeira, me cagava de medo. Não sou uma pessoa aventureira, não tenho gosto em adrenalina, e a ideia de descer uma montanha com duas laminas no pé não me apetecia. Mas me prometi que tentaria, ainda mais podendo aproveitar as tais ski fridays com Mati e os outros amigos da escola. Assim, conforme dezembro foi chegando, comecei a me preparar psicologicamente para o desafio. 

Combinei com Mati que compraríamos as roupas para mim, até mesmo porque uma vez na montanha, da pra você brincar com sleds, bicicletas de neve, e se eu não me entendesse com o esqui as roupas seriam úteis de qualquer forma. Mas na primeira sexta-feira alugaríamos o equipamento, e se eu gostasse, então faríamos o investimento. Li vários artigos sobre a melhor forma de se vestir para esquiar - e esse aqui é bem simples, informativo e correto. Na California tentei encontrar as roupas, trouxe um par de luvas de neve, meias apropriadas e os fleeces, mas as roupas externas estavam absurdamente caras. Chegando aqui aproveitei as promoções - e o fato de eu entrar nas roupas de pré adolescentes, rs - e comprei o que faltava por preços muito bons. 

Eu queria muito gostar. Eu coloquei como uma resolução de ano novo. Estava ansiosa, até sonhei que chegava na beira da montanha e tinha um chilique hahaha. No dia de ir cheguei na estação de Gümligem, de onde sai o trem da escola, e fiquei parecendo besta. Centenas de pessoas (e pessoinhas) num puta clima legal, professores e alunos super empolgados, ansiosos. E eu pensando eu quero muito fazer parte disso!
Uma das pistas em Zweisimmen - foto tirada do My Switzerland
Depois de 50 minutos no trem com crianças histéricas e vendo o twister de gelo passando pela janela, chegamos em Zweisimmen, a cidade ao pé da estação, debaixo de uma super nevasca. Zweisimmen faz parte do complexo de Gstaad, tem muitos kilometros de pistas. Fui super confiante até a lojinha e aluguei a coisa toda: esquis, botas, sticks, capacete e óculos. E como eu queria muito que desse tudo certo, quis fazer tudo direitinho: agendei com antecedência uma aula na escola local de esqui. Melhor decisão. 
Tirei essa foto na porta da loja, para o caso de tudo dar errado, sobrar esse registro risonho e otimista
Dividi a aula com uma estagiária da escola e a nossa instrutora, uma senhora de cabelos brancos e certamente mais de 60 anos, foi excelente. Ela foi super paciente, trabalhou bem as posições e movimentos básicos, e foi ajudando a gente a se sentir confiante. Na primeira vez em que fui descer a pista de treino desde o topo, ela simplesmente desceu na minha frente, de costas, olhando pra mim e me corrigindo. Tudo bem devagar, sem pressão, sem stress. E depois de 2,5 horas de aula... 

Pois é. Eu, que queria tanto gostar, AMEI. Adorei a sensação de "surfar" naquele mar branco de neve, de curtir a vista lá de cima, o vento na cara, curti tudo. Peguei aquele trem de volta tão feliz, tão satisfeita, que nem ligava pros pés doendo da bota desconfortável, nem pro cansaço.

O segundo dia foi muito mais difícil. Encarar uma montanha de verdade foi meio paralisante. Mas segui firme. Novamente com a Dóris, instrutora, fui aprendendo a manter controle da velocidade e dominar meus medos. E assim vamos nos divertindo toda sexta-feira. Ainda estou engatinhando, ainda morro de medo quando olho pra descida íngreme, mas vamos indo e melhorando... A vista vale muito e é um belo incentivo pra criar coragem.
A vista da pista de treino
Selfie na gôndola

Mati no snowboard

A inacreditável vista da Top Station em Rinderberg, uma das montanhas em Zweisimmen (pequenina lá embaixo)


Pessoal da escola se reunindo no fim do dia
Moral da história: já tenho esquis pra chamar de meus, estamos aproveitando super nossos ski days, to me sentindo integrada hahaha e o melhor de tudo: já risquei uma resolução de ano ano novo. Em janeiro :)

10 comentários:

  1. Que lugar lindo Gabi!!! E que bom que vc gostou de esquiar! Mais uma atividade pra se fazer por aí!é sempre bom gente descobrir coisas novas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é.. a vista vale todo e qualquer esforço :)

      Excluir
  2. Olha só! Uma promessa cumprida já no primeiro mês do ano! Eu sonho em esquiar - mesmo que eu acredite que não vai dar lá muito certo. Você foi muito bem! Melhor é que você se divertiu com isso. Agora é treinar mais e mais até estar ótima até março, hein? Boa sorte em tudo!

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, se eu fui, qualquer pessoa consegue. Você não imagina o tamanho do meu medo hahaha.

      Excluir
  3. Ai, que delícia! Meu sonho é ver neve e praticar algum esporte no frio. Tanto que estou planejando uma viagem para o Chile para fazer isso. Queria que fosse Suíça!

    http://belsantanna.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh aproveita e vai mesmo! E olha, ao menos no Chile a coisa é mais fácil. Aqui não tem pista verde, que são as mais fáceis. Devido à inclinação dos Alpes, as pistas já começam na azul e por isso é tão assustador. Aproveita e fica craque no Chile, e numas próximas férias vem pra cá :)

      Excluir
  4. Gaaabi, que delicia!!! Que demais que você tá encarando super bem a neve toda por aí e ainda se jogado no snowboard!! Isso que eu acho legal e ainda te ajuda a se inserir mais ainda na vida por aí, você curtir os costumes locais e poder praticar essas atividades também.
    Eu sou doida pra tentar esquiar assim um dia, oremos! hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o melhor jeito é tentar se inserir mesmo, até mesmo porque é bem divertido. Povo vai todo junto pra montanha, esquia junto, depois tem as bebidinhas no apre ski haha. Snowboard quem fez foi Mateus, eu achei que é muito difícil. Ele anda de skate e ainda assim penou com o snow. Eu fiquei no ski mesmo, que me pareceu menos complicado. Acho que você vai adorar esquiar! Numa ida pra França ou pra Áustria vale super tentar (porque é bem mais barato do que aqui, pra variar rs). Beijos!

      Excluir
  5. Nossa Gabi que demais! Que vista espetacular, imagino que realmente deve ser um belo incentivo! Achei muito legal esse costume de ski days! Acho que eu teria um medo imenso se estivesse em seu lugar, esportes radicais também não é meu forte ainda mais quando envolve descidas (Tenho um pouco de medo de altura)! Mas que ótimo que você gostou!! Talvez se um dia eu experimentar eu goste também! E fico feliz que você tenha tido uma instrutora tão fofa, imagino que com certeza ter alguém para te passar confiança deve ser muito mais animador e reconfortante!

    Ameei as fotos e boa sorte nos seus próximos ski days!

    Beijinhos Bi

    janeladela.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Dóris é uma querida, a melhor instrutora. Amanhã vou fazer uma horinha de aula com ela, acho importante pra ir criando confiança, sabe? Quando você for esquiar, faça aula. Ajuda muito a domar o medo. Beijos e obrigada pela visita!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top