Curtas

O verão aqui em Berna simplesmente acabou sem nem dar tchauzinho. Dia 30 de agosto estava mais de trinta graus, eu estava nadando no rio, tomando sorvete e estirada no sol. Dia 31 amanheceu chovendo, doze graus, e foi só daí pra baixo. Esse fim de semana tivemos manhãs próximas de zero, é mole? Cadê o outono que deveria estar chegando? Pois é... parece que esse ano vai ser assim, de um verão lindo e ensolarado direto para um inverno gelado.
Outono, não desiste da gente, por favor
* * *
Rolou uma ida vapt vupt pra Portugal há dez dias. Fomos correndo pra um casamento em Cascais e eu fiquei é enlouquecida pelo pouco que vi do país. Chegamos numa sexta a noite em Lisboa, saímos com um amigo para beber vinho e ouvir fado, e eu amei o charme da cidade. Quando saímos de casa no sábado e eu vi a cidade de dia, aí sim que me apaixonei de vez. Sem contar os preços, né? Tivemos um problema na chegada e tivemos que rodar uns 40 minutos de taxi, e deu míseros 18 euros, rs. Eu preciso de quase o dobro disso pra ir de casa até a estação de Berna, coisa de 8 minutos hahaha. E preciso nem dizer que casamento em Cascais, na beira da praia, com as melhores amigas do mundo, não tem com dar errado, né? Foi uma noite daquelas pra entrar na memória. E acho que esse conjunto de lembranças, as comidas maravilhosas, as vistas, a simpatia do povo, tudo, já me fez botar alerta de passagem. Muitíssimo em breve espero estar explorando Portugal com o tempo e a profundidade que esse país merece.
Descabelada pelas vielas de Alfama
Matando a saudade de pão na chapa e de pastel de nata
E o cenário de memórias que ficarão pra sempre no coração
* * *
Tenho recebido um monte de visitas e não poderia estar mais feliz. Quando eu realizei que não receberia o visto B esse ano saí pedindo pra todo mundo que pudesse vir me visitar. Seria um desperdício eu passar dois anos sem trabalhar e as visitas começarem a chegar bem quando eu não estivesse mais livre, né? Mas como quem tem amigos e família tem tudo, meu chamado foi atendido e as visitas começaram a chegar. Tem sido maravilhoso mostrar minha nova vida pra pessoas queridas, e além de tudo, me ajuda a sentir que isso tudo aqui é mais real. Ver as pessoas que estão desde sempre na minha vida agora aqui na minha casa tem me ajudado a sentir que a minha vida aqui é pra valer, é real, que aqui é minha casa mesmo. Não sei exatamente porque é assim, mas é. E tende a intensificar. Será um semestre de casa cheia e de coração preenchido.
Pedalando...
... e descendo o rodelbahn com os amigos
* * *
Por fim, a vida pode estar muy bela, mas tem dia que nasce cagado, né? Pois é. Vou fazer um brevíssimo relato do que se passou em nossas vidas ontem entre as 16:30 e as 19h:
- estamos pedalando, o celular de menos de dois meses de Mati voa pra fora do bolso dele e se estraçalha no chão; 
- vamos estacionar as bicicletas num café e começa uma chuva daquelas de vento que antes de você pensar em correr pra dentro, você já está ensopada e pingando, gelada, com a temperatura de 9 graus; 
- após o café, resolvemos seguir na chuva até a estação e pegar um trem com as bicicletas mesmo. Estamos la na estação quando vejo uma mulher olhando muito pra gente. Ela chega perto e solta a bomba: uma das nossas bicicletas foi ROUBADA dela há quase três anos, e ela procura a bicicleta desde então. A bixa estava tremendo, sem voz, chocada, e nós com aquela cara de WTF?! né. Há 2 anos e  meio a gente nem morava aqui, mas dada a situação, a tristeza dela, e tudo mais, achamos por bem fazer o que era certo.. Moral da história: voltamos pra casa molhados, gelados, com um celular e uma bicicleta a menos. Ta bom de estrago em duas horas e meia, né?
* * *
E é isso.. entre perdas e ganhos, entre passeios e dias tranquilos, momentos de casa cheia e tardes sozinhas ouvindo música, a vida aqui vai muito bem obrigada :)

12 comentários:

  1. Nossa, e como a mulher conseguiu reconhecer a bicicleta assim do nada? Era algo muito especial?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A bicicleta realmente não era muito ordinária... era dessas de corrida, fininha, duas cores, com adesivos. E eu não achei nenhum absurdo porque já ouvi dessas histórias aqui em Berna, inclusive sei de um cara que roubou a bicicleta que tinham roubado dele, rs...

      Excluir
    2. Legal! Nada melhor que não ficar com peso na consciência.

      Aliás, leio seu blog faz um bom tempo, mas nunca tinha comentado antes, gosto muito dos seus textos :)

      Excluir
  2. Nossa, Gabi... também fiquei me perguntando o mesmo que o Guilherme.. como que a mulher reconheceu assim do nada depois de tanto tempo? Já fico naquela preocupação se não foi só historinha dela?
    E que delicinha receber visitas assim e também essa viagem pra Portugal que parece ter sido tão boa <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu falei ali pra ele, a bicicleta não era super básica, e além de tudo, já ouvi histórias do tipo por aqui. E a cara dela, sabe? Ela estava triste real oficial. Inclusive queria pagar pela bicicleta... mas como a adquirimos num esquema bem barato (e agora ta justificado o porquê duma bike boa daquela quase de graça) só tiramos nossos acessórios e devolvemos.
      E sim, Portugal foi delicinha <3 Quero mais!

      Excluir
  3. Adorei esse post!
    Aqui em BH já é o contrário: poucos dias atrás eu tava feliz porque o inverno nunca durou tanto, agora tô chorando com a quantidade absurda de calor - e de noite tá esfriando e eu tô gripada e querendo chuva e poder sair com uma roupa sem medo de passar frio na volta- hahahha
    Que delícia receber muitas visitas, e que loucura isso da bicicleta! Também pensei como Taís e Guilherme!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou um ser do verão, né.. dava tudo pra ter mais dias de calor insuportável aqui comigo hahaha.. Mas ouvi falar que o inverno aí em BH foi punk mesmo, né.. várias piadinhas que fez mais frio que em Curitiba, rs. Agora o pior mesmo é essa variação entre dia e noite, né? Você sai de casa preparada pro calor, e no fim passa frio, rs... mas jajá esquenta de vez. Obrigada pela visita :)

      Excluir
  4. Cara, que mudança brusca de temperatura! Aqui também caiu bastante do nada, mas não tá tão frio como aí na Suíça não (Bárbara dando pulinhos de alegria por estar aí em breve, rs). Meu, fiquei chocada com essa história da bike, sério. E pela reação da mulher, acho que eu também acreditaria e devolveria a bike, principalmente se não tivesse me custado muito. Pra ser sincera, não sei se devolveria se a bike tivesse sido cara, porque poxa, você também foi enganada na história, mas vocês fizeram a coisa certa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, se tivessemos tido um super gasto com a bike acho que ficaria um impasse maior. A princípio a gente também ficou meio "oi?!", mas no fim, achamos o certo. E sim, a temperatura aqui caiu bonito, hoje de manhã estava 2 graus.. não dá, gente.. não é vida haha!

      Excluir
  5. Adorei o estilo do post, Gabi! Portugal é um encanto mesmo. Assim como você, voltei pra casa com vontade de voltar logo.O casamento deve ter sido lindo!

    Aqui estamos tendo começo de outono ensolarado. O visual aí no outono deve ser de cair o queixo!

    Que bom que apesar do dia merda, o balanço das notícias tenha sido positivo. Agora essa mulher reconhecer a bike é mesmo surreal!

    Beijão! E que a casa fique bem cheia e quentinha esse semestre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paisagem aqui já está mudando de cor, e está ficando linda mesmo. A Suíça não deixa a desejar em nenhuma estação do ano rs...
      Beijos e obrigada pelo carinho sempre!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top