Dicas de Koh Lanta

Aqui contei sobre nossos lindos dias em Koh Lanta. Agora bora pras dicas. 

Como ir?
Koh Lanta fica bem próxima de Krabi, e de lá saem vários barcos para o Pier Saladan, o principal da ilha. Mas a gente estava em Phuket, que é um pouquinho mais longe. De lá o jeito mais comum é ir de ferry para Koh Lanta, mas se atente para os horários rs. Os grandes ferries encerram no mais tardar às 15h (na internet tem trocentas informações sobre o assunto, com diversas empresas diferentes). A gente estava ressacado do casamento e perdeu esse último horário, mas descobrimos um outro - e longo - jeito de chegar lá. Pegamos um carro particular de Phuket até o Koh Lanta Pier em Krabi. Foram 3 horas dentro do carro e 5 mil bahts (mas como estávamos em 4 pessoas saiu pouca coisa mais cara que o ferry), e assim chegamos na ilha. Atenção: o Pier Saladam é no centro da ilha e de lá é facinho de pegar tuktuk ou taxi. Porém o ferry que sai desse Pier de Koh Lanta em Krabi não chega em Saladan, chega num outro Pier (Koh Lanta tem 5), e o ideal é que você combine com o pessoal do seu hotel/hostel para te buscar lá, porque é bem ermo o lugar. A gente pegou carona, rs. Para a volta fechamos com uma agência um ferry rápido no Pier Saladan e traslado direto para o aeroporto de Phuket. Custou 1200 Bahts por pessoa, e foi ótimo não ter que se preocupar com mais nada. 

Onde ficar?
Koh Lanta é bem grande e tem várias praias. Tem também old town, que é o lugar onde eu recomendo fortemente NÃO ficar rs. É longe de praia e do "agito", passamos por lá durante o dia uma vez e só. Nos arredores do Pier Saladan tem bastante vida, bastante restaurante, casa e afins, mas nós gostamos mesmo foi de Phra-Ae Beach. Lá tem vários resorts, e diz que na baixa temporada é bem barato de se hospedar num deles. Mas tem também várias pousadinhas gostosas. Estávamos com mais dois casais, cada um ficando num lugar. Nos hospedamos no Lanta Sunny House, um "resort" (risos, muitos risos, risíssimos) de bungalows. O bungalow era bem velho, com cara e cheirinho de décadas passadas, e eu confesso que por 50 dólares a noite na Tailândia eu esperava mais, considerando que gastamos 25 num lugar delicinha em Chiang Mai. Mas a localização valia os ácaros dentro do armário rs. Tinha saída própria pra praia, e em 2 minutos de caminhada você caia na boca de restaurantes maravilhosos, casas de massagem e afins. Além disso, eles tem a própria agência de passeios, onde compramos o dia do kayak, Phi Phi e o retorno pra Phuket, tudo com desconto. 
Nosso bungalow
Preços
Como deu pra perceber, a estadia não foi das mais baratas. Mas tenho certeza que se deve às nossas datas: chegamos lá dia 29 de janeiro e saímos dia 3 de janeiro. No olho do furacão de ano novo. Mas comemos super bem em restaurantes deliciosos gastando 30 dólares o casal. E em cada esquina tem mocinhas fritando frango frito, e eu recomendo, se joga, come aí esses franguinhos porque eles são maravilhosos e custam menos que 2 dólares. O aluguel da scooter ficava entre 150 e 250 bahts por 24 horas (o que é bem barato, se considerar que qualquer rolê de tuktuk sai por 200, 300). A massagem tailandesa custava entre 250 e 350 Bahts a hora. Um pouco mais caro que Bangkok e Chiang Mai, mas mais barato que Phuket. Um outro detalhe é que usamos cartão de crédito lá, e nos dois lugares eles repassaram para mim a taxa de 3% da operadora. Isso não tinha acontecido em Bangkok, onde também usamos. 
Eu na garupa do Bozo Mati
Restaurantes e Bares
Nós comemos super bem na viagem inteira, claro, mas eu achei Koh Lanta super fácil, não tinha lugar ruim rs. Comemos diversas vezes franguinho frito pela rua, principalmente pra matar aquela fominha de meio do dia sabe... Mas eu queria deixar aqui registrado meus restaurantes favoritos:
* Patty Secret's Garden, um restaurante super fofo e com um staff super amigável. Tudo que comemos lá estava maravilhoso de bom, inclusive resolvemos esbanjar e pedimos espumante, e ainda assim a conta deu 120 reais por casal.
* May's Kitchen, um outro restaurante super simples, porém com comida deliciosa, e preço amigo.
* Moonshine Beach Bar, para drinks num charmoso lugarzinho na praia (o serviço é lerdo mas super atencioso).
Alias, no geral, em todas as nossas refeições em restaurantes tailandeses a gente pedia de entrada salada de papaia pra comer com stiky rice, sempre alguém pedia curry, outro alguém pedia sopa, e a gente ia dividindo tudo. Eu amava e já to toda saudosa de comer uma papaia salad. Outra entradinha gostosa era o Morning Glory, que é tipo uma couve cozida, bem temperadinha, bem gostosa. O morning glory do May's Kitchen foi o melhor da viagem. 
Franguinho frito na calçada... das delícias da Tailândia
Eu e meu peixe inteiro, outra delícia que comi tantas vezes quanto pude
Passeios
A gente organizou tudo por lá mesmo, e acho que não tem porque se adiantar. É possível negociar preço, escolher um dia que lhe seja conveniente, sem ficar se engessando com antecedência. Lá pela ilha tem trocentas agências, mas a gente acabou fechando tudo com a agência do lugar onde ficamos, por comodidade mesmo. Agora para quem deseja fazer mergulho, ainda mais se for alta temporada, eu sugiro procurar com antecedência sim. No dia 30 nossos amigos foram ver porque queriam fazer, e não havia mais disponibilidade em lugar nenhum até pelo menos o dia 4 de janeiro. Ou seja, se é seu sonho mergulhar na Tailândia, aí sim é bom se programar pra não ficar sem. Sobre os preços dos passeios saindo de Koh Lanta: fizemos o tour de Kayak e saiu 1000 Bahts por pessoa, já Phi Phi pagamos 1450 Bahts por pessoa (lembrando que é mais ou menos cortar um 0 para converter pra reais, ou seja, 100 reais e 145 respectivamente).
O sonho de Maya Bay, em Phi Phi Islands
Curiosidade
Koh Lanta é uma ilha cuja população é composta por mais ou menos 50% de muçulamos. Eu fiquei bem chocada, porque não esperava. É bem contrastante ver gente andando praticamente pelado de biquini o dia inteiro, e o tanto de mulher coberta dos pés à cabeça. A maioria das mulheres lá usa o Niqab, aquele lenço que só deixa o olho de fora. E nas horas de oração rola o chamado, e foi a primeira vez que ouvi aquilo na vida. Fiquei impressionada, maravilhada, com o canto. Adorei, e ficava feliz de ouvir todos os dias. 

* * *
Esse é o último post sobre a Tailândia. Foi a viagem mais longa que eu já fiz na vida, e a mais relatada aqui no blog. Já reli alguns posts pra matar saudade da viagem, e acho que é por isso mesmo que é legal contar tudo aqui. Adorei também ler os comentários com experiências diferentes da minha, informações complementares, etc. Espero que ajude e/ou inspire outras pessoas a conhecer o país! 

2 comentários:

  1. Ahhhhhhhhh, já é o último? Ficarei com saudade dos seus posts da Tailândia (mas já tô louca querendo ler os da Rússia, rs). Amei as dicas, várias delas foram úteis pro meu planejamento - mas no geral, eu amo te ler de qualquer maneira! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, eu to mega empacada com os posts da Russia... cheguei aqui e saí escrevendo os da Tailândia, e depois só resto ir fazendo a carpintaria rs... Mas não fiz de Moscou, e agora to nada inspirada, não lembro umas coisas, enfim.. vou correr atras do prejuízo rs!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top