O tal do saco cheio

Durmam com um barulho desse: fevereiro A-CA-BO-U. To chocada rs... A real é que eu só me liguei que hoje era dia 28 quando liguei pra uma amiga pra bater um papo maroto, e depois de 15 minutos ela me fala: viu, você não me ligou pra dar Parabéns não? Hoje é dia 28, meu aniversário rs... Pois é, eu sou dessas. E pois é, fevereiro acabou. 

No "campo das metas" fevereiro foi muito bem, obrigada. Segui lendo livros, me exercitando, conhecendo lugares novos, estudando alemão, etc. Mas a verdade é que há umas semanas que eu ando sentindo meu saco bem cheio, sabe... Eu estou cansada, cansadíssima eu diria, de não trabalhar. De não me arrumar pra trabalhar, ter uma mesa, ter problemas pra resolver, ter colegas pra conversar, e ter horário de almoço pra desopilar. Cansei dessa vida que é um eterno horário de almoço, rs. 

No fim de janeiro eu fui fazer a entrevista pro tal curso para o qual me candidatei, e a entrevista foi dentro de uma das empresas parceiras da universidade. Passar pelo meio das baias, olhar as salas de reunião, ver a turminha do cafezinho, a princípio, foi ótimo. Sentei naquela entrevista com fogo saindo das minhas entranhas: eu preciso voltar pro jogo. Mandei bem, mandei benzaço. Fui aceita no curso, fui tão bem avaliada, que depois de negar a vaga por falta de bolsa, me ligaram oferecendo tudo que eu pedi e quase mais um pouco. Tudo lindo. 

Mas senti que aos poucos essa visita mexeu muito comigo, me desestabilizou. Evidenciou, e muito, a falta que eu to sentindo de ser desafiada, de me sentir produtiva, de me sentir inteligente, enfim, da minha carreira. Sinto falta de ter algo que é "meu", só meu. E esse algo é ver as minhas ideias impressas em políticas, é ver a minha opinião ser requisitada, é me sentir útil. E é também, claro, ver o dinheiro caindo na conta no fim do mês, e caber a mim decidir o que fazer com o fruto do meu suor. 

"Ah, mas você está aprendendo alemão, está usando a cabeça, se ocupando e produzindo outras coisas". É verdade. Estou. Porém desafio um lado do meu cérebro. O outro quer morrer com essas simulações de "reserva em hotel", "papo de super mercado", "conversa sobre sentimentos", etc e tal. É ÓBVIO que estratégias corporativas não são discutidas na aula de alemão, e nem deveriam hahaha.. mas é delas que eu to sentindo falta. E o alemão tanto não anda suprindo as demandas da minha cabeça, que eu to de saco cheio dele. Eu to cansada, distraída, a aula anda me dando nos nervos. 

O bottom line disso tudo é que eu estou impaciente. Depois de um ano e sete meses de Suíça, eu estou quase lá. Em julho (se a lei não mudar nesse meio tempo haha) eu devo pegar o visto de residência fixa, com o qual posso trabalhar. Acho que a "proximidade" com a possível ressurreição da minha carreira está me deixando ansiosa, e me fazendo olhar com mais azedume a minha vida do momento. To mala, to mal humorada, to de mal com a vida. Não nego que o frio da Sibéria pode ter culpa nisso também - porque se me lembro bem, quando to nadando no rio e tomando sol eu não sinto falta alguma de chegar perto de um escritório.

Esse é um bocado do meu fevereiro: reclamar e emburrar rs. Mas nem tudo é reclamação nessa vida. Amanhã é março. Em março eu volto pra universidade. É possível que no fim de março eu esteja aqui pedindo arrego e reclamando de outras coisas. Veremos. 

11 comentários:

  1. Gabi, sei que é difícil, mas vejo o lado positivo! Julho está quase batendo na tua porta e depois que você conseguir a residência fixa muita coisa vai mudar para melhor. Fico na torcida por você. Mas eu entendo muito bem essa de estar de saco cheio. Eu as vezes também fico. Mas meu motivo é outro. Apesar de amar investir meu tempo no meu bebê, as vezes me pego pensando no quanto parei no tempo .estou doida pra voltar a fazer outra coisa da minha vida que não seja só amamentar dia e noite. Ando tão cansada disso que já nem sei mais. Tenho tantos planos, tantas metas e não consigo sair do lugar. Força aí, logo mais essa ansiedade acaba. Um beijo e desculpa a ausência aqui. Nem comentar nos blogs que sigo eu consigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu imagino, Ana. A rotina cansa, a dedicação exclusiva a outro ser que não é você... eu imagino mesmo, que não deve ser fácil. Mas você ta se saindo super bem, e vai encontrar seu caminho. Paciência e força por aí. E nada de se desculpar... blog tem que ser diversão, não obrigação, né?! Vem quando dá ;) Beijos!

      Excluir
  2. Gabi, falta muito pouco. E quanto mais perto você estiver de obter sua residência, acho que menos paciência você terá mesmo, é normal! Mas vai passar, e quando você conseguir finalmente voltar a trabalhar, vai olhar pra trás até com saudade desses dois anos de ski às sextas, passeios pela Suíça, eterno horário de almoço, etc. Que curso você vai fazer? Conta mais! Beijos e boa sorte, que março seja gentil com você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que sentirei falta dessa vagabundância hahaha.. mas por enquanto, é cada irritação que nóis sente hahaha. Em breve vou contar do curso com mais detalhes, estou esperando começar rs..

      Excluir
  3. cara, segura as pontas. falta pouco. falta só um pouquinho.
    e se shiva (ou insira aqui o deus meteorólogico da sua necessidade) ajudar, até o fim de março a gente vai ter um solzinho de verdade (näo desses siberianos piores que luz de geladeira). vai passar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shiva hoje até deu um tantinho de esperança, com um sol gostoso, umas temperaturas positivas. Oremos!

      Excluir
  4. Gabiii, parabéns pelo curso, mulher! Fiquei super feliz aqui de ler que você mandou bem e foi aceita. Depois volte aqui pra contar mais sobre isso ^^
    Julho não está longe e daqui a pouco você consegue sua residência, aí ninguém te segura! Enquanto isso , mesmo de saco cheio, tente aproveitar mesmo ao máximo esse tempo de horário de almoço eterno haha quando você voltar com tudo, vai sentir falta dele! haha
    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu normalmente não me queixo rs.. acostumei com a vida de "vagal", e vivo ela muito bem. Mas é isso, acho que a proximidade com o "fim" me deixou ansiosa e impaciente. Vamos ver se com as temperaturas esquentando, essa irritação passa rs... E em breve conto mais do curso aqui! Beijos

      Excluir
  5. Bom, a primavera chegou, então imagino que essa sensação deva ter melhorado. No inverno bate esse saco cheio mesmo, independente do momento de vida que você esteja passando. A propósito, parabéns por ter arrasado na entrevista! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhorou muuuito! Hoje uma amiga falou que eu to com a cara boa hahaa.. falei pra ela, é a luuuuz, a primavera!!!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top