Advogada na Suíça?

Esse post pode ser bem chato para quem não tem interesse no assunto. Mas resolvi mexer nesse vespeiro porque essa é uma pergunta que escuto com certa constância. Voilà. 

Para quem é de fora da área, o Direito ainda segue parecendo um tema muito pouco transferível de um país pro outros. Já vi em vários blogs, canais e afins, quando estão falando sobre exercer profissão fora do país, que "em algumas áreas, como o Direito, é impossível". Essas pessoas sempre são de outras áreas, e tem em mente um Direito bem antigo. Aquele em que só existia família, criminal, tributário, trabalhista e previdenciário. Aquele em que advogado ou ta trabalhando na porta de cadeia ou fazendo divórcio, e que precisa recitar a letra da lei. Bom, há muito tempo o Direito é bem mais amplo do que isso. Sempre foi, claro, mas há uns bons 20 anos, com globalização e afins, o Direito também se globalizou. E é aí que as portas podem ter se aberto um pouco para quem pensa em exercer a profissão fora do país de origem.

Para quem tem experiência com M&A (ou fusões e aquisições), compliance, operações cross border, tributação internacional, contratos internacionais, direito migratório, é bem mais fácil trabalhar em outros países (e veja bem, digo trabalhar, porque arrumar emprego é sempre difícil né). Nos últimos quatro anos da minha carreira no Brasil eu trabalhei em multinacionais, participando da negociação global de contratos e depois adaptando esses contratos globais para a legislação brasileira. Também trabalhei com a implementação de controles de compliance seguindo padrões europeus e de FCPA (e aqui, para quem não é da área, num resumo bem resumidinho, compliance é conformidade e hoje em dia as empresas tem departamento específico que atua para garantir que a empresa segue à risca todas as regras internas e externas. Há procedimentos de padrão internacional de compliance, que podem certificar uma empresa. Já o FCPA que mencionei é a lei americana anti corrupção. Empresas americanas colocam em contrato que a outra parte deve seguir controles de compliance para obediência da FCPA). Em menor escala, fiz trabalhos voltados para M&A. Ou seja, tenho alguma experiência que torna meu perfil mais internacional. 

É claro que ter uma faculdade no país em que se quer trabalhar, tirar a OAB local, vai aumentar a sua chance de encontrar algo em muitos porcentos, pois é qualificação extra, e ainda por cima aumenta seu campo de procura, certo?! Você abre suas possibilidades para além das multinacionais. Mas eu cheguei na Suíça sem intenção de, a princípio, me qualificar. Primeiro porque são anos de estudo e eu precisava trabalhar, e segundo porque tem a questão da língua. Sabe-se lá quando eu teria condições de prestar uma prova técnica como a "OAB"(que aqui chama SAV) em alemão, francês ou italiano, as línguas oficiais do país. Além do mais, aqui na Suíça tem muitas, mas MUITAS, multinacionais. A minha ideia era, desde o princípio, encontrar uma posição em que eu pudesse usar o conhecimento que tenho, me apoiar na minha experiência, para aprender mais e evoluir. 

E aí a pergunta... MAS E NÃO PRECISA DA OAB? Não necessariamente. Vou resumir novamente de forma bem simplista. Para quem quer atuar como advogado com poderes para atuar em Cortes, para representar legalmente clientes diante de autoridades e afins, é necessária a OAB sim. Mas há uma outra infinidade de possibilidades dentro da área: analista/gerente de contratos ou de compliance, consultor em qualquer das áreas que mencionei, auditoria, paralegal (que é uma posição abaixo de advogado, mas que mexe com contratos, com documentos corporativos, etc), etc. São posições nas quais você usa o seu conhecimento jurídico, mas não necessariamente irá assinar como advogado. E deixo um exemplo: estou trabalhando no departamento de contratos de uma empresa, e não no departamento jurídico. Quando é necessário o sign off de um advogado, eu encaminho a questão para o jurídico. 

E tem bastante vaga nesse perfil. Claro que tem também muita vaga que pede a OAB local. Mas honestamente, o mercado é bem mais aberto aqui do que eu esperava. Nesses dois anos que não trabalhei, não foi por causa de vaga. Já comentei por aqui que eu tinha um problema de visto, e em todas as entrevistas que fiz, a conversa acabava aí. Mas veja só... tinha vaga, tinha entrevista. Portanto, se você é da área e acha que vai ser impossível encontrar algo aqui na Suíça, não é não. Tampouco é fácil, é verdade. Mas em outra hora eu escrevo aqui sobre como funciona a busca por emprego aqui.

Enfim, esse texto é zero profundo, e não tinha a intenção de inventar a roda com ele. Mas sei que é uma dúvida frequente das pessoas da área, uma curiosidade das pessoas fora da área, e já cansei de revirar os olhos vendo informação errada por aí. 

9 comentários:

  1. Muito interessante seu post, Gabi. Admiro a sua generosidade de investir seu precioso tempo para compartilhar essas informações. Sabia que você era do Direito, mas não sabia de que área exatamente. Adorei saber que é da area dos contratos até porque tenho umas dúvidas. Aliás, quando a gente sai do Brasil tem todas as dúvidas neh. Afinal, cada país tem seu próprio sistema jurídico. Interessante que não precisa necessariamente fazer uma prova local para exercer tua profissão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, cada país tem um sistema, mas quando você está lidando com vários países, você nunca vai conhecer todas as leis, e é aí que você acha seu espaço, né? E assim.. eu dei uma geral das situações que conheço. Claro que quanto menos aberto o país em termos de mercado e tal, mais difícil vai ser trabalhar. A questão da língua então, nem entrei nela... aqui na suíça com inglês da pra você trabalhar, na França por exemplo, o francês é imperativo. São várias questões, mas eu quis fazer o ponto de que é possível sim, ao contrário do que o senso comum diz.

      Excluir
  2. Gabi, vou confessar que eu era uma dessas pessoas que achava que o Direito dificilmente é compatível com mudanças de país, por isso foi muito bom ler este post.

    Espero que em breve a questão do emprego se resolva e que você possa exercer sua vocação. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho bem normal achar isso, sabe... só acho que do mesmo jeito que eu não me sinto apta a fazer do mercado internacional para dentista, as pessoas deviam se abster de falar do que não sabem. Vi muita baboseira na internet, e por isso resolvi falar um pouco como alguém de dentro da área. Beijão

      Excluir
  3. Gabi, que maravilhoso esse post, sério mesmo! Não sou da área, mas adorei saber disso, conhecer como são as coisas, sempre sou curiosa e adorei aprender aqui com você. Eu nunca parei pra pensar no quão amplo o Direito é, tenho muita gente na minha família que trabalha nessa área e tals (eu cresci nesse meio, tendo que ir em forum com a minha avó hahah), mas eu nunca me aprofundei em saber nada. Que interessante. Com certeza um post muito útil pra quem é da área e pensa em trabalhar com isso fora do Brasil!
    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha sabe que eu sempre via gente com criança no João Mendes, lá na Sé, e achava graça.. porque é isso mesmo, a galera precisa trabalhar, e vai do jeito que dá :) Eu quis mesmo fazer o post só pra tocar no assunto, e dar uma luz para quem chega aqui querendo algumas respostas, o que tem acontecido com alguma frequência.

      Excluir
  4. Muito interessante! Eu achava que todo mundo precisava do OAB (ou o equivalente do país) para poder atuar. Achei um post super curioso e informativo! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dependendo do tipo de trabalho que se vai realizar, e da empresa, pode ser necessário sim. Mas há vida além da OAB Hahaha

      Excluir
  5. Olá Gabi, obrigado pela luz! Estou graduando em Direito agora no Brasil e já passei na 1a fase da OAB. Estou planejando ir pra Suíça fazer um mestrado e até mesmo penso em advogar por lá. Morei na Suiça quando criança, em Genebra e Lausanne, durante 9 anos, onde pude aprender o francês fluentemente na escola, apesar de atualmente estar meio "enferrujado" em razão do desuso, nada que uma revisada e uns meses de prática novamente não resolva. Enfim, estou planejando retornar no início de 2021, mas confesso que estou meio perdido sobre como farei pra conseguir um mestrado e até mesmo advogar. Ultimamente adquiri a nacionalidade portuguesa, sendo assim acredito que facilitará um pouco meu caminho. A pergunta é: o que você me sugere, posso fazer mestrado na Suiça, tem como conseguir bolsa, etc? Estou começando a colocar em prática esse projeto e quero muito executá-lo. Qualquer informação que tiver e puder me orientar eu fico eternamente grato! Grande abraço. Aguardo ansiosamente.

    ResponderExcluir

Follow @ Instagram

Back to Top