Feliz Ano Velho

Cá estamos, dezembrão, a época das retrospectivas! Eu fiz ano passado uma lista das coisas que queria realizar em 2018, e agora é hora de olhar pra trás. Se quantitativamente eu não passei da metade, pouco me importa. Pra mim 2018 foi um ano muito produtivo, em que eu conquistei tudo que eu queria. Fiz um curso universitário, conheci lugares novos, dei um belo gás no alemão, conheci muita gente, estreitei laços, encarei uma dieta, corri 5km, e o principal, que mudou tudo, eu encontrei um emprego. Pessoalmente, não tenho um pio pra reclamar desse ano, e serei eternamente grata a ele. Mas vamos lá, às metas:

* arrumar emprego ✔️
Foi a grande conquista do ano, e faz valer todos os itens não cumpridos dessa lista.  

* terminar a cidadania italiana✖️
Essa ladaínha ta demorada demais, heim?! Pelamordedeus! Eu peguei o visto B em agosto, e com ele poderia dar entrada na cidadania aqui. Então comecei o processo de tirar documentos novos (porque a pedem que os documentos sejam emitidos há no máximo 6 meses) e tinha a expectativa de dar entrada na papelada na Embaixada Italiana de Berna ainda em 2018. Um dos documentos atrasou, e por isso não foi possível. Espero que essa seja a primeira coisa que eu tire da minha frente começando 2019.

* voltar aos 60kg✔️
Quando eu botei esse item na lista lá no início de 2017, eu estava com mais ou menos 62kg. No fim do ano eu sabia que não tinha perdido peso coisa nenhuma e resolvi não me pesar. Em julho desse ano me pesei e pá... um susto. Eu estava quase com 66kg. Meus 2kg pra perder tinham virado 6, e eu fiquei um pouco preocupada, porque isso pode virar uma bola de neve, né. E aqui uma curiosidade: eu engordo como um todo. Não tem um lugar do meu corpo onde eu engorde mais. Tudo se espalha pelo rosto, braços, abdomen, quadris, coxas, etc. Então é mais difícil de perceber que estou engordando, demoro a sentir roupas apertadas, etc. Em outubro fiz uma dieta severa, que me enxugou uns kilos, e pra mim já foi suficiente. Não voltei abaixo dos 60kg, mas fiquei na casa deles, ainda abaixo de 61. Estou feliz, e sem dúvidas, dou esse item como cumprido. 

* ler mais livros✔️
Item que me da muito orgulho. Esse ano foram mais de 15 livros lidos, o que pra mim foi um super avanço. Mas o problema foi é que li tudo no primeiro semestre. Assim que comecei a trabalhar o rendimento caiu bastante. Então o item foi cumprido, mas a meta permanece aqui para o ano que vem. Deixo aqui como meus favoritos: Cem Anos de Solidão (finalmente), The Handmaid's Tale (ou O Conto da Aia em português), Bowie, the Biography, Fire & Fury e Those Faraday Girls. 

* ver mais filmes✖️
Não dou como item cumprido porque não vi tantos filmes quanto gostaria esse ano, mas a verdade é que fui mais ao cinema do que nos últimos anos. Então daria um meio cumprido se pudesse haha. 

* usar menos o celular ✖️
Mais uma vez falhei miseravelmente nesse item, mas dessa vez ao menos com uma desculpa melhor rs. Agora mais do que nunca passo tempo demais no trem, coisa de 3h por dia, e por isso, uso muito o celular. Ainda assim, segue como meta pra vida. 

* Fazer o TELC para o B2 no alemão✖️
Item não cumprido. Eu parei com as aulas de alemão, e como comecei a trabalhar, adiei esse projeto. Tento manter meu nível fazendo tandem, falando sempre que possível, e espero que em breve possa voltar às aulas, nem que seja duas vezes por semana. Quem sabe em 2019, né?

* conhecer os 6 cantões suíços que me faltavam✖️
Vish... Zero progresso nesse assunto. A verdade é que tivemos menos budget para viajar esse ano, e focamos nossos esforços em viagens maiores. Fomos aos EUA em fevereiro, passamos 10 dias viajando na Páscoa, tivemos férias de 5 semanas e agora vamos passar o Natal na California, e com isso sobrou menos tempo e dinheiro para investir na Suíça (que é cara e demanda orçamento generoso para saídas de fim de semana). Mas ok, já tenho algo em mente para março que irá dar o pontapé na execução dessa meta em 2019. 

* voltar a Berlim✖️
Quaaaase saiu uma viagem em novembro, que iria matar a minha curiosidade de voltar a cidade que por uns bons anos foi a minha favorita no mundo - e saber se ela segue nessa posição rs. Mas acabou não dando certo, e vai ficar também pra 2019. Como já a conheço no inverno e na primavera, dessa vez eu quero mesmo o verão!

* cozinhar coisas diferentes✔️
Item alcançado com sucesso. Fiz um documento com receitas fáceis, meu estilo de cozinha rs, e consegui variar bastante. Estou beeeem mais confortável na cozinha, e apesar de não ser muito fã do assunto, confesso que me da uma satisfaçãozinha bem boa :)

* manter rotina de cuidados para a pele✔️
Mais um item em que mandei bem, muito bem. Esse ano eu incorporei de uma forma bem legal os meus cuidados com a pele na rotina, entrei no automático. Investi em produtos legais, fiz um tratamento no Brasil, e senti bastante diferença. A minha pele está muito melhor. 

* aprender a usar a máquina de costura✖️
Desisti desse ponto rs. Acho que eu não sai do lugar com esse assunto porque não é algo natural pra mim, não é algo que tenha nutrido minha atenção, e realizei que se não fiz isso enquanto tinha todo tempo do mundo, não será agora trabalhando e viajando todo dia. Esse item não cumprido sai da lista, e passar bem. A máquina seguirá enfeitando meu quarto de hóspedes hahahaha.

* fazer um calendário do advento✔️
Pois que não "fiz", com minhas próprias mãos, mas comprei um hahaha... E está sendo uma parte deliciosa do meu dia nesse dezembro gelado. Todos os dias eu abro minha caixinha, e pego minha surpresinha, as vezes testo na hora, as vezes tomo um bom banho cheirosinho. Comprei o calendário da Loccitane, porque to numa fase cosméticos, e valeu muito a pena.

* * *
E aí, o que será de mim em 2019? Sei lá! Hahaha.. mas vou, mais uma vez, colocar umas metas aqui esperando que elas me empurrem pra frente nesse ano novo :)

1- Metas não cumpridas em 2018, ou seja:
Terminar a cidadania italiana;
Ver mais filmes;
Usar Menos o Celular
Terminar o B2 no alemão
Conhecer os 6 cantões que me faltam
Voltar a Berlim
2- Passando janeiro, fazer uma viagem por mês

E vai ser isso. Sem adicionar muitas coisas! Veremos :)
Que em 2019 eu possa seguir bem plena por aí 

O elefante na sala

Estou desde outubro com esse post entalado rs. Eu ainda não superei a eleição desse ser para a presidência do nosso país, e superei menos ainda o fato de que um monte de gente que eu conheço, de quem já fui muito próxima, com quem divido sangue e afeto, votou nele. Eu nem vou entrar no mérito do "outro candidato", porque já votei em várias merdas porque não curtia o outro candidato... já votei em Alckmin, em Aécio, e o escambau, porque não queria votar no outro candidato. E até então nem tinha tido outro candidato que defendia tortura. Então eu não aceito. Também não vou falar os infinitos motivos que tenho pra só chamar o presidente eleito de merda, porque quem sabe, sabe. Quem não sabe, sei nem o que ta fazendo aqui. 

O que vim resmungar aqui é do desconforto que essa eleição criou. Porque eu to que nem ando afim de conversar com gente que até então era próxima. Abriu-se um buraco dentro do meu peito que eu não consigo nem olhar foto de instagram de certos amigos, tamanho o ranço. Eu também dei graças a deusa que eu acabei tendo um motivo muito verdadeiro pra não participar do amigo secreto da família, do qual eu vinha participando por skype desde que saí do país. Eu não tenho vontade de conversar com alguns parentes, e se por acaso tirasse um deles, acho que eu ia dar uma banana. 

"Ai, não seja radical", dizem uns. Mas sabe, radical o cacete. O cara diz que mulher merece ganhar menos que homem, que gay tem que apanhar, que não tem mudança climática, exalta torturador em plenário, ameaça outra de estupro, enfia tudo que é filho, irmão, primo e caseira no cabide de emprego, e ainda por cima, como não bastasse ser um ser humano horrível e deplorável, ainda por cima é um grande dum burro e despreparado. E aí, vem gente dita instruída procurar motivo pra fazer esse cara presidente do Brasil, e eu que sou radical de querer que vá todo mundo pro inferno? 
Enfim, eu disse que não ia falar porque diabos o merda é um merda, e acabei falando. Mas o grande X da questão desse post é o seguinte: como faz pra viver sem odiar quase todo mundo nesses tempos? Alguém sabe? Depois do Natal passa? Ou piora? Me ajudem. 

Dicas de Budapeste

Nossa viagem pra Budapeste foi bem curta, e por isso não fizemos nada além de coisas que já constam em tudo que é guia, blog e instagram de viagens. Mas tem algumas pequenas coisinhas que acho que valem a pena ser compartilhadas. Voilà. 

Corvin Plaza Apartments & Suits
Eu achei esse lugar no Booking, e como tinha uma nota boa, preço legal, e localização parecia certeira, acabei fechando sem prestar muita atenção. A verdade é que eu ando bem preguiçosa pra pesquisar as coisas a fundo, e ando acreditando "na cara" que as coisas tem, e acho que é questão de tempo até eu tomar uma entubada daquelas rs. Mas ok, chegamos no aeroporto e de lá foi bem fácil pegar um ônibus e depois andar cerca de 10 minutos até o "hotel". Apesar de ser um monte de apartamentos, eles tem recepção 24h e vendem entradas para algumas atrações da cidade, como as termas. E chegando no quarto, a surpresa. É um apartamentinho bem do ótimo. Tinha cozinha completa, banheiro com lava roupa, TV e varanda. Se eu estivesse viajando há duas semanas e chegasse nesse lugar, acho que ia chorar de emoção rs. E o melhor: pagamos 35 euros a diária. É possível que na alta temporada seja um pouco mais caro, mas gente... preço ótimo para um quarto legal e bem localizado. Fizemos quase tudo andando, e quando quisemos pegar transporte, tinha metrô, trams e ônibus passando super perto. Enfim, recomendo demais. 
Uma fotinho tosca de parte do quarto, onde ainda não tínhamos feito bagunça rs
E a vista da nossa vatanda
Budapest Bägel 
Estávamos andando do hotel pra beira do rio, e passamos por essa casa de bagel, que estava bem movimentada. Resolvemos tomar nosso café da manhã ali. Dividimos um Bagel de salmão bem gostoso e tomamos um café cada um, e a conta deu um total de TRÊS euros. 

New York Café 
Acho que o café mais bonito em que eu já pisei na vida. É turístico, tinha fila, mas valeu muito a pena. O ambiente é um desbunde de tão lindo. Os preços são meio salgadinhos, mas a gente resolveu aproveitar que o fim de semana estava saindo bem em conta e chutamos o balde, tomando um super brunch. Mas tinha muita gente que entrou lá só pra comer uma torta, tomar um café, e apreciar a atmosfera, e eu acho que vale muito a pena. Recomendo demais o Strudel. 
Olha. Esse. Lugar.
Termas
Vá durante a semana. Eu estava mega empolgada pra ir num banho termal, porque eu adoro essas coisas, spa, massagem, banho de banheira etc. Mas a real é que é muito cheio, e eu, que estava tão empolgada, acabei ficando com um pouquinho de nojo. Além do que, não consegui relaxar tanto quanto achei que relaxaria. Enfim, recomendo que, quem quiser visitar a cidade e fazer esse passeio, o faça de dia de semana, quando deve ser mais calmo e ter menos grupinho em despedida de solteiro rs. 
Fomos na Széchenyi, a maior terma de Budapeste
Acho que de dicas práticas, são essas. Não fizemos nenhum passeio insider fora da rota turística e tenho zero arrependimentos. Budapeste é linda, e quem sabe um dia volto no verão para ver outra cara da cidade, com um pouco mais de tempo. Deixo aqui umas fotos dessa cidade ó <3






Follow @ Instagram

Back to Top