Um fim de semana em Copenhagen

Aqui na Suíça viagens de um fim de semana não são muito comum, o pessoal acha super longe e perrengue pegar um avião pra passar dois, três dias fora. Eu, com uma vida de Brasil e Régis Bittencourt nas costas, acho que pegar um avião na Europa pode ser mais rápido do que passar um fim de semana no Guarujá. Então, sempre que posso, to topando. 

E foi assim que compramos passagens para passar um fim de semana em Copenhagen. Fomos agora no meio de setembro, e demos MUITA sorte com o tempo: pegamos dias extremamente ensolarados, gostosos, e a nossa aventura de fim de semana valeu muito a pena. Saímos numa sexta a noite, e não chegamos lá a tempo de fazer nada, mas curtimos sábado e domingo o dia inteiro, e chegamos em casa de volta já era meia noite de domingo pra segunda. Cansei? Cansei. Amei? Mais ainda. Vou deixar aqui meus highlights pra quem vai pra essa cidade maravilhosa!

Vesterbro
Começamos o rolê nesse bairro, mais especificamente no Prolog Coffee. A área era um pedaço bem industrial, onde eram embaladas as carnes (o tal do meatpacking district, igual de NYC) e ta passando por um processo de gentrificação, então tem muitos lugares charmosinhos proliferando por ali. O café é bem pequninho, e nada nooossa que lugar incrível, mas pra quem estiver ficando na área, é uma boa pedida. Os funcionários são super simpáticos, o café é bom, e o cinammon roll é mara. No fim da noite, ao voltar pro hotel ali perto, paramos de novo na mesma área, onde tem vários bares, como o WarPigs que é famoso, mas focamos no hot dog rs. Mati já morou na Dinamarca e diz que uma das comidas populares do país é o hotdog, e por ali tem o John's Hotdog Deli, que é um clássico da cidade. É um hotdog bom? É. É melhor do que hotdog com purê, vinagreteve, milho, ervilha e provolone prensado? Há quem duvide rs. Mas a área é beeeem agitada de vale a pena. Ainda em Vesterbro tem uma loja de segunda mão mara chamanda Prag, que vimos depois também em Norrebro, mas preferi a primeira. Muuuuitas coisas, curadoria incrível, sério.. só achados! Recomendo.
Apesar da minha cara, juro que o café tava bom rs... eu esqueci de levar óculos de sol na viagem e fique desse jeito aí
Frederiksberg
Acho que foi minha região favorita da cidade! Um bairro muito do charmoso, com umas lojinhas muito legais, uns cafés bonitinhos, floriculturas.. sério, só amor, e eu ia querer morar por ali se um dia morasse na cidade. Paramos pra tomar um drink num bistrô chamado Granola. As pessoas estavam comendo lá, mas nós ficamos nos drinks mesmo. Lugar excelente pra sentar e praticar minha arte favorita: people watch.
As ruas, as pessoas e o Granola
E essa floricultura?!
Mati que captou esse momento <3

Norrebro
Mais um bairro fofinho, de andar pelas ruas, parar e ver vitrines, curtir uma graminha, fazer people watch. Por ali paramos para almoçar no Manfreds, um restaurante que além de charmoso e gostoso, traz os ingredientes de uma fazenda própria nos arredores de Copenhagen (ou seja, tudo super fresh e baixo carbon footprint). A comida estava uma delicia, tudo com texturas, bem combinado com o vinho. Não foi barato, mas valeu as coroinhas gastas. Também paramos na cervejaria possivelmente mais famosa da cidade, a Mikkeller. Paramos de noite numa outra casa deles, mas essa de Norrebro achei mais gostosinha, na frente de um parque, com ambientes diversos.
Pelas ruas, com esse soläo
De dentro da Mikkeller
Esse céu e essa vibe <3
Nyhavn e Christianshavn
As áreas mais turísticas da cidade, mais lotadas mas, confesso, ainda charmosas. Assim que cheguei em Copenhagen disse a Mati: só vamos na Pequena Sereia se passarmos muito perto, não quero desviar caminho porque não quero gastar tempo com turist trap. Mas Nyhavn não é só turist trap, é onde tem aquelas casinhas coloridas de Kopenhagen, é bem lindo mesmo, e de forma alguma é perda de tempo. A única coisa foi que evitamos parar em restaurantes e bares lá. E logo do outro lado de um canal tem a área de Christianshavn, mais famosa por abrigar Cristiania, uma comunidade alternativa no centro de Copenhagen. Eu também passei esse rolê de Cristiania porque além de não curtir a ideia de ir lá como se fosse um zoo, eu já ouvi que a vibe não é das melhores, uma coisa meio decadente, e digamos que eu tenho a Cristiania de Berna bem perto aqui da minha casa rs, então deixei pra lá. Mas pelo bairro tem canais lindos, e é bem gostoso de passear.
Copenhagen clássica em Nyhavn
E pelos canais de Christianshavn

Fazer isso tudo de bike
A primeira coisa que fizemos ao acordar no sábado foi alugar uma bike, que só devolvemos na hora de pegar o trem pro aeroporto. Copenhagen é uma cidade de ciclistas, toda plana e repleta de ciclovias. É muito fácil pedalar por lá, e tem muitas opções de aluguel (inclusive vários hotéis que eu vi tinham suas próprias bikes pra alugar). Nós alugamos no Baisikeli, um projeto que usa a renda dos alugueis para enviar bicicletas da Dinamarca para a África, e lá dar suporte e locomoção para a população local. Achei bem legal, e ajudou muito que era perto de onde ficamos, fomos pra lá a pé (os preços eram mais em contas do que a bicicleta do nosso hotel, inclusive). Pedalamos incansávelmente por essa cidade, rodamos todos os bairros (e fizemos mais coisas que não listei aqui, como ir à casa de um amigo de Mati, ir à uma praia coberta de neblina rs, entre outras coisas). Pedalamos fácilmente 15 km por dia, e foi maravilhoso. Não gastamos dinheiro com transporte (tirando o trem entre a cidade e o aeroporto), e em todo momento, enquanto estávamos on the go, a gente estava vendo e vivendo a cidade. Foi uma super experiência!
Baisikeli, em Vesterbro
Eu...
...e ele <3

Se eu recomendo um fim de semana em Copenhagen? Recomendo muito. A cidade é pequena, e mesmo sem a gente ficar na correria, conseguimos ver ela inteira. Como os dias estavam lindos, eu acabei decidindo que não queria passar tempo em museu, Acho que se for visitar alguns lugares, pode ficar corrido. Mas eu vivo assim mesmo, achando que vou voltar pra todos os lugares, e que não preciso sair correndo pra ver porque a vida é longa e ainda tenho tempo rs... E acho que Copenhagem reconheceu minha vontade de vivê-la e me presenteou com dias lindos demais. Voltarei? Voltarei. Ta decidido. 

4 comentários:

  1. Gabi, essas fotos de céuzão azul estão lindas! Eu fui em fevereiro (não lembro o ano) e tava nublado, frio... eu amei, claro, mas confesso que essas casinhas coloridas combinam mais com o céu azul! Eu lembro de ter ficado chocada em ver tanta bike pq não sabia que Copenhagen era assim pró-bike, maravilhoso, né? Vocês não tem medo de sair pedalando numa cidade desconhecida? rs

    ps: amei a introdução do post, e ri muito! Super concordo! Só quem é brasileiro e viveu em cidade grande sabe como o "perrengue" de pegar avião na Europa compensa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que céu azul deixa tudo mais bonito, né? Não tem jeito rs.. Agora sobre medo de andar de bike, tenho não. Confesso que em Amsterdam acho os ciclistas muito violentos, e só ando de bike lá se tiver alguém pra eu seguir, porque aí não preciso parar no meio da ciclovia pra olhar mapa e tomar xingo. Mas tirando isso, eu adno de bike em qualquer lugar rs, zero medo.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Que demais!!! Eu, assim como você, também penso que aqui na Europa é tudo muito mais fácil! Mesmo que viagens curtinhas, dá sim pra fazer e curtir. E ainda voltar outro momento pra curtir o que ficou faltando! hahaha Acho que tem também herança da época de au pair! Adorei as dicas e sobre a possibilidade fazer tudo de bike, curto muito.
    Onde vocês ficaram hospedados, em qual dos bairros? Tudo pareceu de fácil locomoção :)

    (por algum motivo, comentei com outro e-mail!!!)

    ResponderExcluir

Follow @ Instagram

Back to Top