As mudanças da vida


Até janeiro de 2016 eu nunca tinha pensado em morar na Suíça. Alias, era bem pelo contrário: por ser um país que meu pai adora, minha cabeça automaticamente o rotulou como país chato. Mati inclusive algumas vezes comentou que tinha amigos morando aqui, e eu sempre fui categórica: não saio do Brasil para ir morar na Suíça. RYSOS. 

Eu só tinha estado na Suíça pra fazer conexão no aeroporto, e Berna eu só conhecia de nome por uma convenção de direito. Sabia que era capital, e mais, sabia que era pequena. Era um "no go" pra mim e quando ele recebeu um convite para entrevista o acordo foi que ele faria a entrevista "só pra praticar". MAIS RYSOS. Há 4 anos ele recebeu essa proposta de emprego em Berna, e eu fiquei muuuuito contrariada. Inclusive teve muita lágrima, sofrência, ligações pra casa da mãe no meio da noite rs... Mas a proposta era atraente, tínhamos outras questões familiares acontecendo, eu conversei com umas amigas que moravam em cidades europeias de proporções similares, e resolvi encarar o desafio. 

E além da minha eterna vontade de ser feliz (que me faz tirar o melhor de qualquer lugar que eu vá), Berna mostrou-se muito, mas muito acolhedora. Confesso que, dia após dia, essa cidade só se fez crescer no meu coração. E eu virei uma Bern lover. Assim, com força. Nos meus anos "sabáticos" (mais rysos aqui porque eu to saudosa e piadista rs) eu aproveitei muito a cidade: andei de bicicleta por ela inteira, entrei em tudo que é café, procurei coisas novas para fazer a cada mês, curti os sábados de museu de graça em agosto, fui em quase todas as piscinas públicas, nadei nesse rio diariamente em meses quentes, piz picnic em muitos parques, fiz trilhas pela cidade, e principalmente, conheci gente muito maravilhosa. Berna me mostrou, mais uma vez, que eu posso dizer até que eu sou bixo de cidade grande, mas eu sou mesmo bixo de onde eu quiser. 

Convenhamos que não é nenhuma missão impossível amar esse lugar, né?
Mas teve uma coisa que Berna não conseguiu me dar: um trabalho. Berna é uma cidade que gira em torno da administração pública, de embaixadas, e de negócios focados na Suíça. Ou seja, Berna é focada no mercado interno e por isso exige um nível bem elevado de alemão pra quem quer trabalhar num escritório. Claro que deve ter uma vaga ou outra aí que facilita, mas eu não as encontrei. E desde agosto de 2018 eu acordo todo dia em Berna, pego um ônibus, depois um trem, depois outro trem, e uma hora e meia depois, sento num escritório em Zurich, de onde só saio depois das 6 da tarde pra fazer o caminho inverso. Ou seja, há um bom tempo eu não vivo Berna :( 

Nesse tempo eu nunca deixei de procurar emprego aqui, mas não rolou. E começou a ficar insustentável. Não só a canseira de viajar 3 horas e 200 quilômetros por dia, mas a falta de perspectiva de reverter essa situação. Todos os currículos que já enviei, todas as vagas que já me interessei (e que tenho qualificações), são fora daqui. 95% em Zurich e arredores, algumas em Basel, e outras espalhadas na área francesa. São cidades mais internacionais, onde é possível trabalhar em inglês. Então, apesar de todo meu carinho por Berna, era questão de tempo. 

Desde que comecei a trabalhar em Zurich é claro que a cidade começou a me conquistar. Conforme eu fui passando mais tempo lá, eu fui vendo mais e mais dela, principalmente fora da rota turística. Além disso, fui conhecendo mais gente por lá, passando mais tempo com gente que eu já conhecia, e fui ficando muito mais interessada na possibilidade de mudar pra lá. Nesse verão, principalmente, o commute foi muito pesado pra mim: muitos trens atrasados, estações cheias, vagões sem ar condicionado, e um nível crescente de insatisfação pro meu lado. Tivemos muida conversa e chegamos a conclusão de que seria melhor pra nós. Inclusive passamos um fim de semana por lá pra dar aquela animada. Foi no verão, com dias lindos, com festival de música, Zurich se mostrando toda pra nós. 
Nosso primeiro "chega mais" em Zurich, em agosto
E foi assim que começamos a planejar nossa mudança, que vai acontecer em algum momento da primavera. Eu estou muito animada com o que vem pela frente, em explorar uma cidade nova, em encarar uma mudança e tudo que vem com ela. Estou começando a busca por um lar, conhecendo bairros, prestando atenção em cada cantinho e ansiosa pela fase nova. Estou cada dia mais interessada em Zurich, e na contagem regressiva pra chamar ela de lar! 


O próximo verão vai ser assim :)

Janeirão

Eu resolvi que esse ano eu vou fazer resumo mês a mês aqui. Assim, se nada mais acontecer nesse blog, pelo menos as memórias ficam em dia rs. E foi só ontem, dia 5 de fevereiro, que eu me dei conta que o primeiro mês do ano já acabou, e que se janeiro se arrastou, fevereiro ta voando. Comecei Janeiro na Bahia, e foi a melhor coisa que eu fiz. Inclusive já falei da viagem com mais detalhe aqui. Mas ai tudo que é bom acaba, e eu voltei pra realidade gelada da Suíça, e logo comecei a trabalhar. 
Look trabalho em dia frio e cinza
E se por um lado tudo se resumiu a entrar no fuso, lavar roupa suja, se recuperar de doença, por outro teve uns belíssimos momentos. Tipo esse domingo aqui, que fomos até Brienz num dia beeem ensolarado. Eu adoro Brienz! É uma cidade bem pequena, no finzinho do cantão de Berna. Acho que já falei dela em outro post do blog. Basicamente o que eles tem é o lago, mas QUE LAGO! É azul demais, rodeado de montanhas lindas, chalés charmosos! Tem uma promenade que só de andar ali repõe minha energia, e de quebra tem uns restaurantes onde é gostoso sentar no terraço e aproveitar o sol. E a estrada pra ir de Berna pra lé cheia de paisagens, então eu curto muito, e pra mim é sempre uma opção pra sair de casa no domingo. 

Em janeiro também fui tirar o pó dos esquis, e fui descer a primeira montanha do ano. Eu gosto de fazer aula nessa primeira esquiada, que é pra dar uma lembrada na tecnica e reganhar confiança. Essa coisa de aprender um esporte nessas alturas da vida é tenso, porque mais que do corpo, você precisa da cooperação da mente rs. A minha trava de medo as vezes. Então começar a temporada com aula é sempre uma ajuda pra mim, e eu devo dizer que eu dei um super salto na performance rs. Acho que, no meu quarto inverno, finalmente posso dizer que sei esquiar.

E por fim, o mês acabou com um dia bem ensolarado de home office, que é mais um dos privilégios que eu tenho. Em Janeiro tivemos uma grande conquista, e com ela vem mais uma mudança: no verão, depois de quatro anos, iremos embora de Berna. E mesmo com meses pela frente, eu já estou sentindo saudades desse lar, que é, de longe, o lugar mais bonito onde já morei. Nem fui, mas já sou só saudades!
O home office mais bonito <3
Eu espero aparecer aqui logo, mas caso não aconteça, até o resumo de Fevereiro rs!

Follow @ Instagram

Back to Top