Seria janeiro o novo agosto?

Temos ai um novo mês mais longo do ano rs? Pode ser que sim. Janeiro teve uns 60 dias dentro deles. E isso porque os primeiros 10 eu passei de férias rs. Comecei o ano no Brasil, tomando sol, curtindo a casa e o colo da mãe, sendo filha, sendo mimada, e foi ó.. M A R A V I L H O S O. Morri de saudade de casa, do marido, do cachorro... mas foi bom demais aproveitar meus pais, não ter que me preocupar com nada, ser meio folgada. Foi um gás de energia que eu nem sonhei em que me daria. Foram férias bem atípicas, porque não fiz um passeio, não vi uma coisa diferente, não fiz nada. Fiquei na casa dos meus pais, saí de lá pra ir pra casa dos meus avós, voltei pra casa dos meus país, fui pro aeroporto. De vez em quando é muito bom simplesmente desintonizar do mundo, das coisas que te deixam alerta, do mundo e seu excessos de informação. E eu voltei renovada, bronzeada, cheia de vitamina D, de afeto, e feliz. Recomendo.


Dia 4 pousei na gelada Suíça, ao mesmo tempo que Matinho rs. Coordenados que somos, chegamos em casa com meia hora de diferença. E das outras coisas boas que arrumei pra mim nesse começo de ano: voltar do Brasil e continuar mais uma semana de férias em casa. Organizei a vida, entrei no fuso, curti a cidade, fui esquiar, fui em médico, e quando voltei ao trabalho estava realmente pronta pra encarar o novo ano. E daí pra frente foi tiro, porrada e bomba rs. O trabalho andou exigindo demais de mim, da minha paciência, e da minha cútis. Acabou que demorei a entrar num ritmo de comida, de exercício, de leitura, de tudo. Some-se à vida dura do proletario o tempo tenebroso que é janeiro por aqui. Frio do caramba, escuridão, dias cinzas... energia andou baixa. Mas ok. 


Em termos de metas, vejamos: 

- "ler ao menos dois livros por mês": Li dois mto bons. "O Lugar", um livro auto biográfico da Annie Ernaux. Foi muito impactante ler esse livro, sobre a relação dela com o pai, no meu voo de volta do Brasil. Me impactou, mexeu, chorei, e o livro ficou reverberando em mim por uns dias.  Também li "A Pediatra", um livro de ficção da Andrea del Fuego, e sério.. leiam hahaha. É uma história bem doida, uma protagonista tão má, tão vilã, que é caricada, a leityra vai que vai porque você vai sugada pras maluquices. 


- "continuar na rotina saudável": esse mês foi aquela coisa, um pouco de droga, um pouco de salada rs. Não tive constância, nem consistência, e na boa... nem ligo. Acho que o importante é focar no equilíbrio, e se contentar com a não perfeição, desde que o resultado seja positivo. E foi. 


- "voltar a estudar alemão": o ano nem começou direito e eu já estou me perguntando que diabo de resolução é essa rs... 


- "fazer 12 hikes": conforme esperado, não fizemos nenhum hike no meio do frio e da neve que nos acompanha. 


- "conhecer um lugar por mês em Zurich": Essa foi a tal da meta que eu bati com força rs. Fui em alguns restaurantes que não conhecia aqui, alguns nos bairros de sempre, mas outros em áreas da cidade que visito pouco. Entre bares, cafés e restaurantes, foram 7 lugares novos. UAU! 

Osso: esse bar e restaurante abriu faz uns 9 meses e fica a 50m de casa, sempre comentávamos de ir, nunca tínhamos ido, e em janeiro acabamos indo duas vezes rs. O ambiente é bem legal, o cardápio é enchuto, sazonal, de execução bem boa, mas o que gostei mesmo foi do bar.. vinho bom com preço camarada pros padrões suíços. 

The Caribbean Restaurant: um restaurante caribenho, claro rs. Pratos generosos, de cozinha creolle, que tem semelhanças com a brasileira. Tudo delícia. Servem até caipirinha rs. O ambiente é aquela coisa... uma zona sensorial, Luis Miguel na tv, e nada sofisticado. Mas na boa? Não va lá pra isso. Va pra comer bem. 

Stubä: barzinho descolado que vira baladinha lá pras tantas da noite. Dj legal, mas fomos, intencionalmente num dia que estava vazio de tudo. Moral da história: pista pra mim, minhas amigas, e outros 3 caras avulsos, sem zoeira. Pista pra de dança pra 6 pessoas em tempos pandemicos: 10/10. 

Kafi Freud: cafézinho hipster, estilozinho, no Kreis 6. Comida delícia, serviço meio caótico, café DELÍCIA. Lugar perfeito pra tomar um sol da tarde. 

Bohemia: um restaurante que muuuita gente já me falou sobre o brunch ser bom demais. Tomara que seja, porque fui jantar e achei bem meia boca rs. 

Pur Pur: mais um bar vazio em que me meti. Mas esse achei DJ chato, ambiente cafona, drinks caros, e eu heim... 

Collective Bakery: Café bem gostoso - barista inclusive é mega premiado. Pastries muito bons também! Vale a visita. 


Além das metas desse ano, eu não esqueci de alguns objetivos do ano passado. Principalmente, nossa meta de conhecer todos os cantões da Suíça. Com ela em mente, fomos ao Klöntalersee, em Glarus. Um lugar liiiindo, um lago congelado, rodeado de montanhas. Aproveitamos pra passear pela cidade de Glarus (spoiler: não tem nada) rs. Mas ta aí, menos um cantão. 


E no quesito passeio, além de Glarus, fomos também passar um fim de semana em Davos, uma das famosas vilas alpinas. Davos fica no Graubünden, o maior cantão suíço, e onde já estivemos muitas outras vezes. Mas ainda não conhecíamos Davos, e fomos lá esquiar uns dias. Todo mundo conhece Davos pelo Fórum Economico Mundial, pela atmosfera de poder e dinheiro que ronda o local. Verdade seja dita, não ta nem no top 30 de belas vilas alpinas rs. Davos não é bonita. Massss, veja bem, MASSSS.. é uma delícia pra esquiar. Tem muita pista, pista grande, muitos bares de montanha, agito.. sério.. virou um dos meus lugares favoritos. Voltarei. 


E ficam aqui mais umas imagens de dias lindos de janeiro. 





Follow @ Instagram

Back to Top