05/12: Maio

Pois parece que foi ontem que eu tava aqui falando de abril, e já estamos quase em julho rs.. Zoeiras a parte, mais um mês que eu só apareço pra fazer resumo mensal e olhe lá. Não que alguém se importe, mas eu realmente quero manter um mínimo de organização nesse pequeno blog que ninguém lê. 


Maio já parece muuuito distante, mas foi uma DELÍCIA de mês. Porque além da primavera estar full on, é um mês que tem feriados, e que dessa vez trouxe foi logo um verão de vez pra minha vida. Temperaturas na casa dos 30 graus, meu coração não aguenta de felicidade. Teve também uma visita mais que especial: meu irmão, minha cunhada e Olivia, minha sobrinha linda. Eu até hoje passei pouquíssimo tempo com a Olívia, e esses dias aqui com ela foram um sonho. Muita brincadeira, muito abraço naquele corpinho, muito dengo. Passeamos muito por Zurich, fomos pra Berna e pra Lucerna, e botamos muito papo em dia. Meu irmão ainda não tinha me visitado, e foi muito bom dividir um pouco da minha vida aqui com eles, mostrar meus lugares favoritos, e conversar até o papo acabar. 

Olivia e Carlito <3


Foram dias deliciosos, que terminaram meio abruptamente quando eles foram pra Portugal de madrugada. Nem nos despedimos porque nós seguiríamos em outro voo para encontra-los para um feriadão. Pois em janeiro comprei esse voo com a TAP, recebi email de confirmação com localizador e tudo. Eis que na hora de fazer o check in aqui, reserva não encontrada. As malas já prontas, Carlito já no hotel de cachorro. E eu descubro que lá em janeiro o banco bloqueou a transação no cartão, meu pagamento não foi efetivado, e a dona TAP cancelou as passagens sem dar a menor satisfação. Nem um email pra avisar. Comprar uma passagem da Suíça pra Portugal é um preço absurdo, do tipo que sai mais barato voar pra NYC. E a TAP nem se prestou a nos dar um desconto pela cagada deles. Fiquei muito chateada, chorei um monte, de raiva da TAP, de raiva de mim por não ter percebido lá atrás que o valor não estava na fatura do cartão, e de raiva de tudo. Não nos despedimos, não dei um último abraço na Olívia, mas pelo menos fico com a certeza de que eles gostaram tanto daqui que logo estão de volta. 


E se a visita da família foi o highlight, tivemos ainda outros momentos muito legais. Depois de 10 anos, voltei a Berlim, que um dia foi minha cidade favorita no mundo. Essa visita foi rápida, somente um fim de semana. Foi também BEM diferente das outras vezes que estive lá: sem balada lost, sem sair parecendo Walking Dead da Bergheim, sem me enfiar por uns infernos muito loucos. Aproveitamos muito os dias, e fomos dormir cedo rs. Quase um casal de velhos, QUASE. Eu segui amando Berlim, e quero voltar muitas e muitas vezes, mas percebi que hoje tenho a vida que, 10 anos atrás, eu sonhei enquanto andava pelas ruas de Berlim: vivo numa cidade em que aproveito os espaços públicos, tenho liberdades, ando de bicicleta, tenho qualidade de vida. Resumindo, o X da questão não era Berlim em si, mas eu que já estava entrando em crise com a vida de São Paulo na época. É tão bom olhar pra trás e ver que consegui muito do que sonhei lá atrás... 




Alias, em maio eu fui a Berna duas vezes. Fui passar um dia com meu irmão e família, mas fomos também passar um fim de semana para visitar amigos. Nesse fim de semana, acabamos nos hospedando há uma quadra de onde morávamos até a mudança pra Zurich. E eu sou muito apaixonada por Berna, e mais ainda por aquele bairro. Fiquei nostálgica, emocionada, e sei que é porque eu fui muito feliz lá. 


Enfim, maio foi essa mistureba intensa, e agora escrevendo, percebo o quanto de reencontros eu tive em maio: meu irmão, Berna, Berlim, etc. No meio de tanta emoção e coisa pra processar, não por acaso não sobrou muito tempo pra eu cumprir minhas metas rs. Sobre as metas, vamos lá:

- ler dois livros por mês: esse mês fiquei devendo, e li um livro só. Livro excelente, aliás. The Secret Diary of Hendrik Groen. O diário de um homem numa casa para idosos. Pode parecer meio desinteressante, mas é uma ode ao nosso envelhecimento, as amizades, ao amor. Amei demais. 


- fazer 12 hikes: engrossamos a lista com um cantão inédito. Fomos conhecer o penúltimo cantão, Appenzel Ausserrhoden, e fizemos um hiking de algumas horas até o Hundwiller hoch. Era um dia que tava prometendo chuva, mas nossa teimosia foi recompensada e nada de chuva. Mas a vantagem é que a trilha tava bem vazia, tranquila, e foi um domingo gostoso - fiquei depois com dor nas pernas? Fiquei. Mas sempre vale a pena. 



- conhecer lugares novos em Zurich: em maio fui pela primeira vez no La Taqueria, um mexicano bem relax, mas que vive cheio e por isso nunca tinha conseguido mesa (sempre em cima da hora rs). Gostei bastante do clima, a michelada é DELÍCIA, e a comida estava boa. Gostei muito que você pede tacos individuais, então proveite ao pastor, carne asada e frango, e o primeiro definitivamente o melhor!

Também conheci o Das Gleis, possivelmente meu novo bar preferido da região. É bem tranquilo, pra um happy hour no fim do dia, pra ouvir música boa, ver o vai e vem de trens chegando e saindo da estação em Zurich, ver gente bonita e descolada rs. Não tem uma super oferta de comida, não é pra djantar, é bem bar mesmo. Aprovado por esta que gosta bastante de um boteco rs. 

- aprender alemão, viver uma rotina mais saudável: como sempre, as esquecidas no churrasco rs

2 comentários:

  1. Hey, eu leio! Com atraso, mas leio hehe Menina, que bosta essa história com a TAP hein! Eu ia chorar fácil de raiva também. Pelo menos você parece ter aproveitado bem os momentos que passou com os seus. Berlin, queria muito voltar. Minha passagem por lá foi intensa também, até hj não sei como conseguimos fazer tanta coisa em um fim de semana. Quando você voltar aqui tenho que te levar num cocktail bar que você vai amar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Amo cocktail bar! Alias, aquele dia depois que nos despedimos de vc e o Rafael, fomos em um otimo tambem. Quero voltar pra te visitar!

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top